Mendonça é aconselhado a se afastar de Malafaia, mas prefere manter o diálogo

Brenno Grillo
Publicada em 05/11/2021 às 09:00
André Mendonça ao lado de Jair Bolsonaro, Silas Malafaia, Marco Feliciano e outros políticos durante viagem no avião presidencial a Marabá (PA), em junho deste ano. Foto: Instagram/Reprodução/Deputado Marco Feliciano

André Mendonça foi aconselhado por interlocutores de senadores a se afastar de Silas Malafaia. Quantos e quem são esses parlamentares são segredos bem guardados . Mas o grupo que apoia a demora de Davi Alcolumbre em pautar a sabatina do ex-AGU mandou um recado direto: não quer que o pastor tenha a influência que imagina conseguir um dia no STF.

Mesmo assim, o ex-AGU prefere manter todas as portas abertas, afirmaram ao Bastidor pessoas próximas às negociações pela sabatina. Inclusive, disseram essas fontes, Mendonça é quem tem alertado lideranças evangélicas mais exaltadas sobre os efeitos negativos de manifestações pouco ou nada calculadas.

Tanto que Malafaia suavizou o discurso nos últimos dias, pelo menos em relação ao caso Mendonça - porque achou tempo para dizer que uma discussão sobre respeito à diversidade nos coloca num "tempo pior do que fascismo, nazismo e o comunismo soviético e chinês". 

Malafaia se acalmou depois de chamar de "safadeza" a demora para marcar a data da sabatina e cobrar publicamente Ciro Nogueira, Flávia Arruda e Fábio Faria por um jantar com Renan Calheiros. Ao baixar o tom, o pastor passou a elencar as qualidades de Mendonça e até elogiou Gilmar Mendes e Luiz Fux, mas não sem mencionar que eventual recusa do nome do ex-AGU não tirará a vaga de um evangélico - como já afirmou Jair Bolsonaro.

E parece que a nova fórmula deu minimamente certo. Fernando Bezerra e Ciro Nogueira - que tinham apenas "um pé" na canoa de Mendonça, segundo fontes envolvidas nas negociações - passaram a se movimentar mais. 

Bezerra conseguiu 34 assinaturas de senadores titulares e suplentes da CCJ em apoio à sabatina de Mendonça. Ciro afirmou publicamente apoiar a indicação do ex-ministro da Justiça, mesmo preferindo outros candidatos, como Augusto Aras. Já Flavio Bolsonaro, após uma cobrança do pai, também voltou a pressionar pela avaliação do nome de Mendonça.

Rodrigo Pacheco, ontem (3), disse à imprensa que o Senado fará uma "esforço coletivo" (de 30 de novembro a 2 de dezembro) para analisar os nomes que aguardam sabatina em comissões ou votação em plenário para assumirem postos em diversos órgãos, "inclusive para o STF".

Mas antes ligou para avisar Mendonça do seu esforço, segundo fontes próximas às discussões. O presidente do Senado, apesar da demonstração de força (em partes motivada por "rebeliões" de PT e Podemos na Casa), prometeu o que não pode entregar.

Davi Alcolumbre é quem manda na CCJ, não Pacheco. E o senador amapaense, ainda mais sob ataque (inclusive contra sua família - leia mais aqui, aqui e aqui), não deverá arredar pé da sua posição.

A entrada de Sergio Moro na disputa presidencial com dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto preocupou pedetistas, que passaram a pressionar o presidente da legenda, Carlos Lupi, a formar uma aliança com o ex-presidente Lula.

Leia Mais

A principal avaliação do ex-governador Geraldo Alckmin para definir onde se filiar é se terá alianças que lhe garanta uma candidatura competitiva ao governo do estado de São Paulo.

Leia Mais

Ao lado de Arthur Lira, o presidente do Senado disse ao tribunal ser impossível identificar quais parlamentares patrocinaram cada uma das emendas RP9, que compõem o orçamento secreto. 

Leia Mais

Futuro presidente do União Brasil, resultado da fusão entre o PSL e o DEM, Luciano Bivar informou a ACM Neto e ao ex-ministro Luiz Henrique Mandetta seu desejo de disputar a Presidente da República pelo novo partido.

Leia Mais

Fernando Collor escapou do STF. A corte não terminou de julgar hoje as ações sobre o marco do saneamento e o caso em que o senador é acusado de receber propina para influenciar decisões da BR Distribuidora será julgado em data ainda indefinida.

Leia Mais

A 2ª Turma do STF pode decidir na próxima terça-feira (30) o destino da investigação do MPRJ contra Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas em seu gabinete quando estava na Alerj. A decisão sobre o caso no colegiado já foi adiada duas vezes: uma por Gilmar Mendes e outra por Kassio Nunes Marques.

Leia Mais

Um deputado da base aliada notou a diferença de tratamento dado nessa semana ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Leia Mais

A fé de Kassab

25/11/2021 às 15:31

Gilberto Kassab tem um ritual diário: garantir a interlocutores políticos que é real e genuína sua fé na candidatura de Rodrigo Pacheco à Presidência.

Leia Mais

A pré-candidatura de Simone Tebet à Presidência da República é um movimento dos chefes do MDB para fortalecer o partido nas negociações eleitorais de 2022.

Leia Mais

O TCU exigiu ontem (24) que União, governo de Mato Grosso e prefeitura de Cuiabá a se entendam em até 60 dias e decidam o destino do VLT (prometido para a Copa de 2014) que ligaria o aeroporto internacional, em Várzea Grande, à capital do estado. A obra iniciada em 2012 está parada há quase 7 anos sem previsão de solução.

Leia Mais

Arthur Lira e Rodrigo Pacheco voltaram a um nível de entendido desde a semana passada: o de que é preciso preservar ocultos os nomes de parlamentares beneficiados com as emendas secretas, as chamadas RP9.

Leia Mais

O julgamento das ações que discutem trechos do Marco Legal do Saneamento começa efetivamente, como a leitura do voto do relator, Luiz Fux. Fontes do setor privado ouvidas pelo Bastidor esperam uma vitória "de lavada" no STF.

Leia Mais

Empresários brasileiros não se preocupam com a proeminência cada vez maior que Xi Jinping tem tido no Partido Comunista Chinês. Fontes ligadas tanto ao setor privado brasileiro quanto ao governo chinês disseram ao Bastidor que a prioridade do empresariado é reforçar os laços comerciais.

Leia Mais

A determinação de Arthur Lira para aprovar brevemente a PEC que aumenta a idade de 65 para 70 anos a idade máxima de nomeação de juízes e ministros dos tribunais superiores é fruto de uma articulação para barrar o nome de André Mendonça.

Leia Mais

Frederick Wassef e o senador Flávio comemoram - houve até festa em estilo havaiano - desde o fim de semana: cumpriu-se a profecia do conselheiro da família Bolsonaro.

Leia Mais