Procuradores americanos partem para cima do Instagram

Publicada em 19/11/2021 às 15:00
Foto: TV Brasil/YouTube/Reprodução

Os problemas legais do Facebook, agora chamado de Meta, estão aumentando exponencialmente. Ontem (18), autoridades dos Estados Unidos emparedaram a empresa novamente. Dessa vez o alvo é o Instagram.

Procuradores-Gerais de Justiça de oito estados abriram investigação conjunta para saber a profundidade dos efeitos negativos que a plataforma de fotos e vídeos têm sobre crianças e adolescentes - e como isso tem sido incentivado pela empresa de Mark Zuckerberg.

A investigação iniciada por Califórnia, Flórida, Nova Jersey, Kentucky, Massachusetts, Nebraska, Tennessee e Vermont toma como base as revelações de Frances Haugen, ex-funcionária do Facebook que vazou documentos da empresa para mostrar os riscos aos quais a sociedade está exposta.

A porta-voz do Instagram, Liza Crenshaw, disse que as acusações são "falsas" e um "profundo equívoco sobre os fatos”.

O Bastidor tem mostrado como o Facebook tem atuado para manter seu monopólio nas redes sociais. Se confirmada a nova investigação, a Meta será reincidente, pois já atuou em conluio organizado com Alphabet e Microsoft para atrasar a regulação da privacidade infantil na internet.

O Facebook também se uniu ao Google para tentar burlar mecanismos de privacidade criados pela Apple. Mas o amigo de hoje foi o rival de ontem, tanto que a empresa de Mark Zuckerberg reforçou suas práticas anticoncorrenciais por medo do Google+ (rede social encerrada em 2019), segundo a Comissão de Comércio dos EUA.

A esses casos concorrenciais somam-se outros, em outras áreas. Como as fragilidades das informações salvas na plataforma. Em outubro, o Bastidor monitorou atividade intensa na deep web de venda de dados de milhões de contas de brasileiros registrados no Facebook.

Por aqui ainda não há nenhuma investigação ou atuação mais forte contra práticas anticoncorrenciais do Facebook e outras Big Techs. O sentimento no Cade é aguardar decisões de outros países para não impedir a inovação do setor no Brasil.

Porém, o Judiciário está de olho nessas redes há tempos. No começo do uso intensivo dessas plataformas, o foco da Justiça era o crime organizado se aproveitando desses serviços de comunicação para facilitar seus negócios.

Só que o tempo passou e há mais um ingrediente nesse caldo: mentiras e discursos de ódio na internet. No julgamento do TSE que livrou Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão da cassação, Alexandre de Moraes e Roberto Barroso deixaram bem nítido que essas práticas não serão mais toleradas.

Moraes falou em "prisão" para quem adotar essas práticas durante o pleito do ano que vem. Também defendeu que redes sociais devem ser conderadas empresas de comunicação, não apenas sistemas oferecidos aos usuários. 

Essa mudança, se ocorrer, trará inúmeras obrigações a essas empresas, assim como já acontece com a imprensa. E Barroso afirmou ser necessário regular o mercado também pensando no comportamento dos usuários dessas plataformas.

O Facebook até chegou a dar sinais de que tem ouvido as críticas e sentido a pressão que aumenta cada vez mais: apagou a live em que Jair Bolsonaro mentiu ao ligar a Aids a vacinas contra a Covid e prometeu desativar seu sistema de reconhecimento facial que contém dados de um bilhão de pessoas.

Mas a solução ainda está longe, porque o movimento contra as Big Techs é global. Além de EUA, Japão e União Europeia estão atrás das práticas anticoncorrenciais do Facebook.

A entrada de Sergio Moro na disputa presidencial com dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto preocupou pedetistas, que passaram a pressionar o presidente da legenda, Carlos Lupi, a formar uma aliança com o ex-presidente Lula.

Leia Mais

A principal avaliação do ex-governador Geraldo Alckmin para definir onde se filiar é se terá alianças que lhe garanta uma candidatura competitiva ao governo do estado de São Paulo.

Leia Mais

Ao lado de Arthur Lira, o presidente do Senado disse ao tribunal ser impossível identificar quais parlamentares patrocinaram cada uma das emendas RP9, que compõem o orçamento secreto. 

Leia Mais

Futuro presidente do União Brasil, resultado da fusão entre o PSL e o DEM, Luciano Bivar informou a ACM Neto e ao ex-ministro Luiz Henrique Mandetta seu desejo de disputar a Presidente da República pelo novo partido.

Leia Mais

Fernando Collor escapou do STF. A corte não terminou de julgar hoje as ações sobre o marco do saneamento e o caso em que o senador é acusado de receber propina para influenciar decisões da BR Distribuidora será julgado em data ainda indefinida.

Leia Mais

A 2ª Turma do STF pode decidir na próxima terça-feira (30) o destino da investigação do MPRJ contra Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas em seu gabinete quando estava na Alerj. A decisão sobre o caso no colegiado já foi adiada duas vezes: uma por Gilmar Mendes e outra por Kassio Nunes Marques.

Leia Mais

Um deputado da base aliada notou a diferença de tratamento dado nessa semana ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Leia Mais

A fé de Kassab

25/11/2021 às 15:31

Gilberto Kassab tem um ritual diário: garantir a interlocutores políticos que é real e genuína sua fé na candidatura de Rodrigo Pacheco à Presidência.

Leia Mais

A pré-candidatura de Simone Tebet à Presidência da República é um movimento dos chefes do MDB para fortalecer o partido nas negociações eleitorais de 2022.

Leia Mais

O TCU exigiu ontem (24) que União, governo de Mato Grosso e prefeitura de Cuiabá a se entendam em até 60 dias e decidam o destino do VLT (prometido para a Copa de 2014) que ligaria o aeroporto internacional, em Várzea Grande, à capital do estado. A obra iniciada em 2012 está parada há quase 7 anos sem previsão de solução.

Leia Mais

Arthur Lira e Rodrigo Pacheco voltaram a um nível de entendido desde a semana passada: o de que é preciso preservar ocultos os nomes de parlamentares beneficiados com as emendas secretas, as chamadas RP9.

Leia Mais

O julgamento das ações que discutem trechos do Marco Legal do Saneamento começa efetivamente, como a leitura do voto do relator, Luiz Fux. Fontes do setor privado ouvidas pelo Bastidor esperam uma vitória "de lavada" no STF.

Leia Mais

Empresários brasileiros não se preocupam com a proeminência cada vez maior que Xi Jinping tem tido no Partido Comunista Chinês. Fontes ligadas tanto ao setor privado brasileiro quanto ao governo chinês disseram ao Bastidor que a prioridade do empresariado é reforçar os laços comerciais.

Leia Mais

A determinação de Arthur Lira para aprovar brevemente a PEC que aumenta a idade de 65 para 70 anos a idade máxima de nomeação de juízes e ministros dos tribunais superiores é fruto de uma articulação para barrar o nome de André Mendonça.

Leia Mais

Frederick Wassef e o senador Flávio comemoram - houve até festa em estilo havaiano - desde o fim de semana: cumpriu-se a profecia do conselheiro da família Bolsonaro.

Leia Mais