A lei boazinha em revisão

Redação
Publicada em 15/05/2024 às 06:00
Arthur Lira foi um dos mais interessados, e beneficiados, pelo enfraquecimento da Lei de Improbidade. Foto: Pei Fon/Zimel Press/Folhapress

O Supremo Tribunal Federal analisará, a partir desta quarta-feira (15), o afrouxamento da Lei de Improbidade Administrativa (LIA) capitaneado por Arthur Lira em 2021. O julgamento começou no último dia 9, com as manifestações dos interessados na causa, como a Ordem dos Advogados do Brasil, o Ministério Público e a Polícia Federal.

No fim de dezembro de 2022, Alexandre de Moraes suspendeu diversos trechos da lei em ação apresentada por associações do MP e da advocacia pública. As normas aprovadas pelo Congresso há três anos foram feitas para proteger políticos, pois dificultavam o trabalho do Ministério Público ao limitar punições e impor regras que atrasariam o processo administrativo.

Uma das regras proibe a condenação por improbidade quando houver entendimentos divergentes entre tribunais. Outra impede a punição de pessoas absolvidas em processos penais relacionados à má gestão pública ou corrupção.

Mais uma benesse do Congresso foi o fim da punição a agentes públicos que estivessem num cargo diferente daquele ocupado na época do fato que gerou o processo por improbidade. Assim, um prefeito condenado só seria punido se continuasse no cargo, por exemplo.

Houve ainda a mudança que reduziu o prazo de suspensão dos direitos políticos ao contabilizar esse período retroativamente, entre o intervalo da decisão colegiada e o trânsito em julgado da condenação. Essa medida impactaria diretamente as inelegibilidades.

O Congresso também havia incluído a necessidade de manifestação dos tribunais de contas para ressarcimento aos cofres públicos, quando o MP firmasse acordos com os agentes públicos acusados de improbidade em troca de não abrir uma ação.

Como se não fosse suficiente, deputados e senadores tiraram da Lei de Improbidade a possibilidade de punir políticos e dirigentes partidários que usassem dinheiro das siglas e das fundações partidárias para fins não previstos na legislação. Queriam deixar para a Lei dos Partidos Políticos, muito mais branda, a possibilidade de enquadramento desses casos.

Fugindo da forca

Todos os exemplos citados foram suspensos por Moraes, para tristeza de Lira, que criticou a judicialização do tema. Oficialmente, o deputado dizia que a legislação estava ultrapassada. Porém, o presidente da Câmara advogou em causa própria ao aprovar o projeto.

Lira havia sido condenado por improbidade quando era deputado estadual em Alagoas, nos anos 2000, por participar de desvios de verbas da Assembleia Legislativa. Dois anos depois de aprovar a mudança na lei, Lira conseguiu que seu conterrâneo Humberto Martins, ministro do Superior Tribunal de Justiça, tirasse a corda de seu pescoço - o magistrado é considerado o homem mais forte da Justiça de Alagoas, inclusive, emplacou o filho Eduardo no Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Leia outras notícias publicadas pelo Bastidor sobre o afrouxamento da LIA:

STF rejeita benesse na improbidade

Discussão no STF sobre mudanças na lei de improbidade ficará para 2022

Lei de improbidade: o movimento inócuo de Aras

Procuradores já previam inércia de Aras para questionar nova Lei de Improbidade

A surpresa nos tribunais superiores com a inércia da PGR quanto à nova Lei de Improbidade

A lista dos ímprobos

Em busca da impunidade

A contraofensiva legislativa ao combate à corrupção

André Mendonça, do STF, sugere que renegociação dos acordos de leniência envolva ajuda ao estado

Leia Mais

Aumentaram em 2024 as reclamações de deputados com o que chamam de “truculência” do parlamentar

Leia Mais

Castigada por chuvas impiedosas, a capital gaúcha também sofre com autoridades incompetentes.

Leia Mais

Supremo define tese que limita o uso da Justiça para constranger e atacar a imprensa

Leia Mais

Sangria estancada

22/05/2024 às 16:45

Depois de pedido da PGR, Fachin arquiva caso da Lava Jato contra Renan Calheiros e Romero Jucá

Leia Mais

Petrobras liberará acesso do Cade a informações sigilosas para ficar com cinco plantas

Leia Mais

Pressão de marido e aliados em favor de advogada incomoda desembargadores do TRF3

Leia Mais

Em conflito com governo do Pará, mineradora tenta retomar atividades em mina de níquel

Leia Mais

Ministro anula todos os atos da Lava Jato contra o empresário que virou

símbolo de corrupção.

Leia Mais

Moro sobrevive

21/05/2024 às 20:51

TSE decide manter o mandato do ex-juiz que comandou a operação Lava Jato.

Leia Mais

Idade ajudou José Dirceu a escapar de condenação. Demora na denúncia ajudou petista

Leia Mais

Primeira Turma do STF confirma denúncia contra Carla Zambelli e hacker e ri da conduta de ambos

Leia Mais

Aliados poupados

21/05/2024 às 12:30

Governistas consideram que, na articulação política, a missão da CPI da Braskem foi cumprida

Leia Mais

Empresários catarinenses que bancaram bloqueios em rodovias são denunciados pela PGR.

Leia Mais

Deputado busca votos de bolsonaristas para eleição na Câmara, mas não tem o aval de Bolsonaro

Leia Mais