Salomão tenta se viabilizar para o Supremo

Diego Escosteguy
Publicada em 18/05/2021 às 06:00
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Com o enfraquecimento de Humberto Martins, o ministro Luís Felipe Salomão, do STJ, está à cata de apoios para se viabilizar como candidato à vaga do decano Marco Aurélio Mello. A aproximação mais promissora se dá com a dupla Flávio Bolsonaro e Frederick Wassef.

O presidente do STJ é - ou era - o candidato de ambos. Mas a resistência no Supremo ao nome de Martins e a forte ligação do ministro com o cada vez mais belicoso Renan Calheiros queimaram a opção favorita dos mais influentes conselheiros do presidente.

O plano de Salomão e de seus aliados inclui articular a nomeação de um desembargador evangélico para a vaga no STJ que se abriria com a ida dele ao Supremo.

Salomão está na fila do Supremo há anos. Mas nunca conseguiu apoio suficiente para chegar lá. Segue azarão. André Mendonça é uma opção, embora Bolsonaro tenha preparado Jorge Oliveira, ministro do TCU, para a missão, caso necessário.