Todos rumo ao Balneário

Alisson Matos
Publicada em 05/05/2024 às 06:00
Nem todos os participantes se preocuparam em registrar o compromisso em suas agendas oficiais Foto: Reprodução

Conselheiros do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e integrantes do TCU (Tribunal de Contas da União) encurtaram a semana do feriado de 1º de maio e partiram rumo a Balneário Camboriú para participar do 1º Congresso Nacional de Concorrência e Regulação no Setor Portuário.

O evento, que ocorreu na quinta-feira (2) e na sexta-feira (3), foi organizado pelo IE, sigla do Instituto de Estudos em Ciências Sociais. A sede da entidade fica em São Paulo, a mais de 600 quilômetros da cidade catarinense.

Na descrição, os organizadores dizem que um dos objetivos do congresso é “aproximar agentes econômicos dos stakeholders da área portuária de relevância nacional, com vistas a contribuir com o desenvolvimento econômico e científico do país” e “garantir aos agentes econômicos um ambiente próprio para discussão de ideias, intercâmbio cultural e social, aprendizagem e fortalecimento das relações e parceria”.

Do TCU, compareceram o presidente, Bruno Dantas, e o auditor-chefe de Infraestrutura Portuária e Ferroviária, Bruno Martinello. Já do Cade, estiveram presentes o presidente, Alexandre Cordeiro Macedo, e os conselheiros Carlos Jacques Vieira Gomes, Diogo Thomson de Andrade, Gustavo Augusto Freitas de Lima, Victor Oliveira Fernandes e o procurador do Ministério Público Federal junto à autarquia Waldir Alves.

Nem todos os participantes se preocuparam em registrar o compromisso em suas agendas oficiais. Foi o caso do ministro Bruno Dantas, do TCU. Alguns integrantes do Cade também não informaram, enquanto outros acrescentaram a presença em meio ao evento.

A falta de transparência se estendeu aos questionamentos feitos pelo Bastidor ao TCU, ao Cade e ao Instituto de Estudos em Ciências Sociais. Nenhum deles esclareceu se houve remuneração aos participantes por parte dos organizadores e quais os valores, se as despesas com hospedagem e locomoção ficaram a cargo dos servidores públicos e se existe um potencial conflito de interesse.

Quem quis participar do evento teve que pagar 500 reais pelos dois dias. Quem se dispusesse, além do evento, teria direito a dois almoços e três coffee breaks no Hotel Mercure de Balneário Camboriú.

A programação do evento incluiu uma visita técnica - sem detalhar do que se tratava - e debates sobre o setor portuário. Não houve transmissão do evento e até a noite de sexta-feira (3) os perfis nas redes sociais do IE não haviam compartilhado nenhum vídeo das palestras e dos debates. Causou estranheza, entre servidores do Cade, algumas palestras versarem sobre temas alheios à competência do órgão. Também chamou a atenção dos servidores o fato de um dos organizadores do evento ser um ex-conselheiro da autarquia.

Por trás do instituto

Segundo registros da Receita Federal, o presidente do IE é o advogado João Adelino Moraes de Almeida Prado, também dono do escritório Almeida Prado Hoffmann, que tem como clientes empresas com interesses diretos em julgamentos tanto do Cade quanto do TCU.

O escritório oferece serviços de “assessoria jurídica em processos administrativos, judiciais e arbitrais envolvendo ANP, MME e o CADE” e “consultoria nos processos administrativos perante órgãos reguladores, como Agências Reguladoras, Tribunal de Contas da União e demais órgãos públicos relacionados aos setores econômicos”.

O principal sócio de João Adelino no escritório é Luiz Augusto Azevedo de Almeida Hoffmann, que até outubro do ano passado era conselheiro do Cade. Em uma rede social, recentemente, Hoffmann comemorou sua volta à advocacia após o período de quarentena exigido para quem ocupa função pública.

Hoffmann também tem um cargo importante no Instituto de Estudos em Ciências Sociais. Segundo o site da instituição, o advogado é coordenador do curso Direito Econômico: Regulação e Concorrência. O corpo docente é composto em parte por membros do Cade. Lá também não há qualquer informação sobre remuneração.

O curso, que custa mais de 40 mil reais à vista e dura 18 meses, promete "aulas teóricas expositivas, palestras com autoridades públicas, especialistas e profissionais de renome, sempre com base em estudos de casos e atividades práticas".

De olho em enfrentar Lula em 2026, governador de Goiás espalha campanha que une segurança e negócios

Leia Mais

Fechem a torneira

19/07/2024 às 14:05

AGU pede ao STF suspensão do leilão da Sabesp por conflito de interesses e valor subestimado.

Leia Mais

Desempenho na segunda fase da venda das ações faz da privatização da estatal um sucesso

Leia Mais
Exclusivo

Um erro de 420 milhões

19/07/2024 às 06:00

Perda de prazo da PGFN dá à Dufry e ao advogado Sergio Bermudes precatório de quase meio bilhão.

Leia Mais

Defesa de Duque recorre ao ministro para evitar prisão por corrupção e lavagem na Petrobras.

Leia Mais

Por mim, libera

18/07/2024 às 19:50

Gonet diz que não é possível avaliar com calma a ação do PT contra a privatização da Sabesp.

Leia Mais

TSE muda de ideia e decide enviar observadores à eleição, o que evita um erro crasso do Brasil

Leia Mais

Expliquem-se

18/07/2024 às 09:07

Salomão pede que TJAL esclareça porque nomeou juízes já conhecidos na falência da Laginha.

Leia Mais

Alphabet foi condenada por concorrência desleal; Meta enfrenta ação bilionária por uso de dados.

Leia Mais

STF dá 24 horas para São Paulo justificar leilão da Sabesp; PT pediu liminar para suspender venda.

Leia Mais
Exclusivo

Gol da Alemanha

17/07/2024 às 19:09

Anac confirma que governo federal ressarcirá prejuízos da Fraport com o Aeroporto Salgado Filho.

Leia Mais

Juízes responsáveis pelo processo de falência da Usina Laginha decidiram que são aptos para o caso.

Leia Mais

Governo oculta dados de acordos da JBS e Marfrig com PGFN para renegociar dívidas com a União.

Leia Mais

Fraport fala que obras no aeroporto de Porto Alegre dependem de acordo com governo federal.


Leia Mais

Eduardo Braga quer alterar no Senado pontos da reforma tributária que foram acertados na Câmara

Leia Mais