CPI vai abordar guerra entre facções e milícia em Manaus

Publicada em 08/06/2021 às 09:58
Foto: Agência Pixel Press/Folhapress

Os senadores da CPI da Pandemia pretendem abordar os atos de violência ocorridos recentemente em Manaus com o governador Wilson Lima, do PSC, em seu depoimento marcado para quinta-feira 10 de junho.

O objetivo dos integrantes da comissão é conhecer o impacto desses atos violentos no combate à pandemia. A disputa entre facções criminosas e milícias -- formadas por policiais e bombeiros -- pelo comando do tráfico de drogas tem prejudicado a vacinação e o funcionamento de unidades de saúde.

A CPI também vai investigar os desvios apontados na Operação Sangria da Polícia Federal. Há suspeita de irregularidades na compra de respiradores por uma empresa de vinhos em 2020 e na contratação de um estabelecimento de saúde para servir como hospital de campanha em janeiro de 2021.

Lima será o primeiro governador a prestar depoimento à comissão. Ele seria ouvido em 29 de junho, mas a data foi antecipada em decorrência da Operação Sangria, realizada em 2 de junho.

Vários governadores contestaram suas convocações pela CPI no Supremo Tribunal Federal e a relatora do pedido de suspensão desses atos é a ministra Rosa Weber.