STF já tem votos para arquivar caso dos depósitos de Fabrício Queiroz

Publicada em 05/07/2021 às 17:58
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O plenário virtual do Supremo Tribunal Federal já tem maioria de seis votos contra investigar o presidente Jair Bolsonaro no caso dos depósitos realizados pelo sargento da Polícia Militar do Rio de Janeiro Fabrício Queiroz na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro.

A manifestação do procurador-geral da República, Augusto Aras pelo arquivamento da investigação foi contestada em recurso que teve voto contrário do relator Marco Aurélio Mello. Seguiram o relator os ministros Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia, Nunes Marques, Ricardo Lewandowski e Rosa Weber.

O parecer de Aras considerou que o Ministério Público do Rio já investiga o crime de peculato caracterizado pelo desvio de salários de servidores, esquema apelidado de “rachadinha”. O PGR também afirmou ao STF que não há indício de responsabilidade criminal contra o presidente nesse caso.  

Queiroz foi servidor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro e é notória a amizade de Queiroz com a família Bolsonaro. O policial militar também é investigado de ter relação com a milícia que controla a comunidade de Rio das Pedras na zona oeste do Rio de Janeiro.