Moro quer evitar STF

Samuel Nunes
Publicada em 29/03/2023 às 17:26
Moro pediu para que investigação contra ele e Dallangnol continue em Curitiba Foto: Gabriela Biló /Folhapress

O senador Sergio Moro pediu ao juiz Eduardo Fernando Appio que mantenha as investigações das acusações feitas pelo advogado Rodrigo Tacla Duran na 1ª instância. O magistrado decidira repassar o relato de Tacla Duran ao Supremo Tribunal Federal.

Na última segunda-feira, Duran foi ouvido por Appio, que assumiu a 13ª Vara Federal de Curitiba em fevereiro. O magistrado tem revisitado processos da Lava Jato e voltou a ouvir suspeitos e delatores do caso. Na última semana, mandou prender o doleiro Alberto Youssef, mas a decisão foi derrubada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Na audiência, Tacla Duran repetiu uma antiga acusação que fez a Moro e ao deputado federal Deltan Dallagnol, que, à época da Lava Jato, conduzia a força-tarefa do Ministério Público Federal, em Curitiba. Ele afirmou que foi alvo de uma tentativa de extorsão pela dupla. Não apresentou evidências. As acusações foram investigadas pelo MPF em 2018 - e arquivadas. Em 2020, Tacla Duran tentou firmar delação premiada na Procuradoria-Geral da República, logo após Moro romper com o governo Bolsonaro. Augusto Aras e sua equipe analisaram o "material" de Tacla Duran, mas consideraram frágeis os elementos. Declinaram a proposta.

A negativa não parou Tacla Duran. Ele, que tem cidadania espanhola, repete essas acusações desde 2017 - e seguiu falando a mesma coisa, em sites ligados ao PT. Tacla Duran foi advogado da Odebrecht. No curso das investigações da Lava Jato, ainda em 2016, os procuradores descobriram evidências de que ele atuava como doleiro da empreiteira, lavando dinheiro fora do país para pagar propina em nome do grupo. Virou réu por lavagem de dinheiro. Para não ser preso, homiziou-se na Espanha. O subsequente acordo de leniência da Odebrecht confirmou o que as evidências iniciais demonstravam: Tacla Duran não era advogado; era doleiro - e dos grandes.

Apesar das evidências, Tacla Duran sempre negou as acusações. E, em vez de se defender tecnicamente, passou a atacar Moro. Na audiência de segunda, Duran reafirmou essas denúncias contra o ex-juiz e o ex-procurador e apresentou um trecho de um áudio que, segundo ele, provariam a tentativa de extorsão, intermediada por dois interlocutores. O áudio é incompreensível, assim como a interpretação conferida por Tacla Duran a ele, durante a audiência. Appio ouviu parte do relato, mas decidiu não iniciar uma investigação. Disse que encaminharia o "material" ao Supremo Tribunal Federal.

No entendimento de Moro, o encaminhamento do material ao STF não tem cabimento. O advogado do juiz diz que ele é inocente. Mas, mesmo que houvesse crime, o caso teria acontecido antes de ele e Deltan assumirem os cargos no Legislativo, portanto não cabe o foro privilegiado.

O advogado de Moro diz ainda que Appio precisa analisar um pedido de suspeição contra ele, antes de continuar reavaliando os processos da Lava Jato, o que ainda não aconteceu. Appio é um crítico da operação. Assinava como "LUL22" no sistema de informática da Justiça do Paraná.

Leia abaixo a íntegra do pedido de Moro:

Advogado ligado a Luiz Marinho ganha força na véspera da votação de duas listas tríplices pelo TRF-3

Leia Mais

Coloca na planilha

17/06/2024 às 19:00

Supremo julga ação sobre previdência, a terceira com impacto no orçamento da União neste mês

Leia Mais

Projeto de renegociação da dívida dos estados é um desastre para o governo federal

Leia Mais

Mudança de posição de ministro do STJ dá chance para Itaú reverter sentença milionária desfavorável.

Leia Mais

Auditorias do TCU mostram que governo não sabe como gasta dinheiro do Minha Casa, Minha Vida.

Leia Mais

Queiroz Galvão, OAS e Brasília Guaíba são condenadas pelo TCU por superfaturarem obras da BR-448.

Leia Mais

Ministro Humberto Martins, do STJ, revê decisão e libera três leilões com bens da Viação Itapemirim.

Leia Mais

Atrasar com calma

14/06/2024 às 17:16

PF some depois de ganhar mais prazo para encerrar inquérito sobre suposta rachadinha de Janones.


Leia Mais

Bolsonaro insiste em ex-policial da Rota militar como vice de Ricardo Nunes em São Paulo

Leia Mais

Sanção ainda traz recomendação de intervenção administrativa e cassação da concessão

Leia Mais

O efeito Toffoli

14/06/2024 às 10:24

STJ livra dois acusados da Lava Jato porque decisão do ministro do STF anulou provas.

Leia Mais

AGU e CGU de Lula firmam acordo de leniência com empresa que admitiu pagar propina a chefes do MDB.

Leia Mais

Marcelo Odebrecht pede que se ignore pedidos da PGR e da Petrobras para suspender anulação de provas

Leia Mais

À espera da PF

13/06/2024 às 17:49

Decisões sobre caso de corrupção e visita do CNJ criam clima de medo no TJ da Bahia

Leia Mais

Líder do partido fica responsável por cuidar de projeto para substituir trapalhada de Haddad

Leia Mais