Telegram mantém ativo canal usado por hackers da Saúde

Publicada em 21/12/2021 às 18:00
Foto: Reprodução/Telegram/Lapsus$

Passados 10 dias das invasões aos sites do Ministério da Saúde e de outros órgãos do governo federal, o canal que os hackers criaram no Telegram continua ativo. A empresa não tomou qualquer atitude, apesar das claras atividades criminais em andamento em sua plataforma. Criado por russos, o Telegram tem sede operacional em Dubai e uma rede de servidores distribuídos pelo mundo. Não costuma colaborar com autoridades nem derrubar canais, a não ser terroristas - o Telegram era a ferramenta preferida do Estado Islâmico, por exemplo.

O canal é um dos meios usados pelos hackers para distribuir os dados roubados das páginas oficiais brasileiras. O @minsaudebr - criado pelo Lapsus$ - tem, até às 16h50 desta terça-feira (21), pouco mais de 2,3 mil inscritos. O último envio de mensagem no canal foi feito no último dia 19 e tratava de "oportunidade de ganho para empregado Vivo ou Claro".

Antes dessa data foram enviados dados supostamente secretos da Huawei e falhas técnicas no software da Apple usado em iPhones.

Como mostrou o Bastidor, a invasão a sites do governo se deu a partir de um repositório de senhas que permite o acesso ao broker da Claro/Embratel. E a administração federal tem sofrido para recuperar as informações, principalmente porque a PF não sabe como o ataque realmente ocorreu.

Tudo isso foi revelado depois que a Saúde confundiu a população. Marcelo Queiroga disse após o ataque que nenhum banco de dados tinha sido comprometido. Mas depois teve que se corrigir e afirmou que seu ministério nem sequer sabia da extensão da invasão.

O Bastidor questionou o Telegram se o canal seria desativado ou se houve alguma tentativa de inutilizar o meio de comunicação, mas não obteve resposta até a publicação desta notícia.

Publicitário condenado no mensalão cumpria prisão domiciliar desde 2020, por causa da pandemia. Ele foi condenado a mais de 37 anos de prisão por crimes como corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Leia Mais

O presidente da Câmara, Arthur Lira, disse ontem ao ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, que o prazo para que o governo e a Aneel cheguem a uma solução para a revisão do aumento da energia elétrica (o reajuste chega a até 25%) se encerra amanhã.

Leia Mais

Na disputa para ganhar a chance de perder em outubro, ninguém vence João Doria - ao menos em disposição. 

Leia Mais

Será a primeira – e provavelmente única – privatização de uma grande empresa estatal na administração de Jair Bolsonaro, caso ele não seja reeleito.

Leia Mais

Depois de ter pedido negado no STF, advogado do presidente decidiu pedir investigação de Moraes à Procuradoria-Geral da República.

Leia Mais

O presidente Jair Bolsonaro avisou a seus aliados que pretende denunciar o ministro Alexandre de Moraes à Corte Interamericana de Direitos Humanos. Ele se diz perseguido.

Leia Mais

Amigos de Michel Temer, com a sua autorização, passaram a vender, para ver se cola nos partidos de centro, a ideia de que o ex-presidente poderia ser uma solução viável e competitiva para as dificuldades de se ter um candidato único da chamada terceira via.

Leia Mais

Filhos do ex-governador da Bahia Paulo Souto, ex-secretário do agora candidato a governador, mantêm contrato de mais de 200 milhões de reais com a prefeitura de Salvador, que vem sendo renovado sem licitação.

Leia Mais

Ministro considerou que condutas do colega apontadas como criminosas pelo presidente da República não poderiam ser enquadradas dentro da Lei de Improbidade Administrativa.

Leia Mais

Ao menos duas ações populares protocoladas nesta semana pelos sindicatos dos trabalhadores urbanitários pedem à justiça federal que suspenda o processo de privatização da Eletrobras em julgamento no Tribunal de Contas da União.

Leia Mais

A capitalização da Eletrobras, se bem sucedida, expulsará apaniguados do MDB e do PT que prosseguem empregados na vasta estrutura da estatal.

Leia Mais

Em conversa ontem (segunda) com o deputado Reginaldo Lopes, postulante à vaga do Senado por Minas Gerais, Lula pediu ao aliado que chegue a um acordo com o PSD no estado.

Leia Mais

A Aeronáutica fez circular entre seus militares um ofício no qual afirma que a filiação partidária é proibida ao efetivo em serviço ativo. É sabido, mas de acordo com fontes ouvidas pelo Bastidor, é documento serve para lembrar a proibição.

Leia Mais

Arthur Lira é um político pragmático. Para chegar a presidente da Câmara, ele contou com o apoio de partidos da direita e de esquerda. Por sua reeleição, pretende fazer o mesmo no ano que vem.

Leia Mais

Em dezembro de 2021, invasão deixou os sistemas instáveis por semanas, prejudicando o acompanhamento de dados imprescindíveis para o acompanhamento da pandemia e de outros atendimentos oferecidos pelo SUS.

Leia Mais