PDT está dividido pelos ataques de Ciro a Lula

Publicada em 28/05/2021 às 16:45
Foto: https://www.instagram.com/cirogomes/

O deputado federal Túlio Gadelha não é o único no PDT a condenar a estratégia de Ciro Gomes atacar Lula. Em entrevista publicada pela Folha de S.Paulo nesta sexta-feira 28 de maio, o parlamentar citou Leonel Brizola, fundador do PDT, para defender a união do centro progressista.

Outros integrantes do partido têm pressionado o presidente Carlos Lupi. Afirmam que Lula não é o principal adversário no atual contexto político e que, num eventual segundo turno sem Ciro em 2022, os candidatos a governador terão de apoiar Lula. Essa previsível situação pode se inviabilizar se Ciro Gomes insistir nos ataques ao ex-presidente.

A contratação de João Santana para a campanha de Ciro também desagradou um grupo de pedetistas. Ele foi o marqueteiro da reeleição de Lula e das campanhas vitoriosas de Dilma Rousseff. Para os insatisfeitos, Santana tem levado o pré-candidato do PDT a exagerar na agressividade contra o petista por mágoas pessoais.

Santana e sua mulher foram presos na operação Lava Jato, mas assinaram acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal e acusaram o ex-presidente.