Jurídico do Ministério da Saúde se recusa a assinar contrato com União Química

Publicada em 05/02/2021 às 15:02

Apesar da pressão, advogados do Ministério da Saúde informaram à cúpula da pasta que não podem dar parecer favorável à assinatura do contrato cobiçado pela União Química. A empresa quer vender dez milhões de doses da vacina Sputnik.

Para assegurar a entrega do imunizante, os advogados afirmam o que deveria ser evidente: é preciso esperar a sanção presidencial da MP que exclui a Anvisa da importação de vacinas. E, em seguida, o pedido da União Química à agência para importar as doses.