Bolsonaro manda ao Senado pacotão das agências

Publicada em 04/04/2022 às 11:16
Rodrigo Pacheco prometeu esforço para aprovar indicados por Bolsonaro Foto: Antonio Molina /Fotoarena/Folhapress

O Diário Oficial da União trouxe nesta segunda-feira (31) uma lista com os nomes dos indicados por Jair Bolsonaro para ocuparem cargos de diretoria em oito agências reguladoras, na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O Bastidor antecipou parte desses nomes.

Os indicados precisam passar por sabatina e aprovação no Senado. Rodrigo Pacheco suspendeu a sessão deliberativa de terça-feira (5) para tentar realizar as entrevistas com os nomes de Bolsonaro. 

Normalmente, o processo é rápido e protocolar – todos acabam tendo as nomeações liberadas. Mas isso depende de acordos entre os membros do Senado. A Casa pode vetar algum indicado, o que gera desgaste ao governo. 

Por falta de entendimento, muitas diretorias estavam sem titulares desde julho do ano passado. Nesses casos, os postos eram ocupados por substitutos.

Diferente de outros órgãos da administração pública, os diretores de agências reguladoras possuem mandatos e não podem ser trocados a qualquer momento. Uma vez nomeados, ficam no cargo por períodos que variam de dois a quatro anos, podendo haver recondução.

Veja abaixo a lista de indicados por órgão

ANA (Agência Nacional de Águas)

Indicado: Ana Carolina Argolo Nascimento de Castro 

Vaga a ser preenchida: diretor

Antecessor: Ricardo Medeiros de Andrade

Fim do mandato: julho 2021


Indicado: Maurício Abijaodi Lopes de Vasconcellos

Vaga a ser preenchida: Diretor

Antecessor: Marcelo Cruz

Fim do mandato: janeiro 2022


ANP (Agência Nacional do Petróleo)


Indicação: Simony Christine de Santana Araújo

Vaga: Diretor

Antecessor: Simony Christine de Santana Araújo

Fim do mandato: março 2022


Indicado: Cláudio Jorge Martins de Souza

Vaga a ser preenchida: Diretor

Antecessor: Felipe Kury

Fim do mandato: dezembro de 2021


Indicado: Daniel Maia Vieira

Vaga: Diretor

Antecessor: José Cesário Cecchi

Fim do mandato: outubro 2021


ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar)


Indicado: Alexandre Fioranelli

Vaga: Diretor

Antecessora: Simone Sanches Freire

Fim do mandato: novembro 2021


Novo indicado: Jorge Antônio Aquino Lopes

Vaga: Diretor

Antecessor: Rogério Scarabel Barbosa

Fim do mandato: agosto 2021


ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários)


Indicado: Wilson Pereira de Lima Filho

Vaga: Diretor

Antecessor: Adalberto Tokarski.

Fim do mandato: fevereiro 2022


ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres)


Indicado: Luciano Lourenço da Silva

Vaga: Diretor

Antecessor: Alexandre Porto Mendes de Souza

Fim do mandato: agosto 2021 (renúncia)


Indicado: Robson Crepaldi

Vaga: Ouvidor

Antecessor: Caio Cesar Nascimento Nogueira


Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)


Indicado: Daniel Meirelles Fernandes Pereira

Vaga: Diretor

Atual: Cristiane Rosa Jourdan Gomes 

Fim do mandato: julho 2022


ANM (Agência Nacional de Mineração)


Indicado: Mauro Henrique Moreira Souza

Vaga: Diretor-Geral

Atual: Victor Hugo Fronner Bicca

Fim do mandato: 4 de dezembro de 2022


Indicado: Roger Romão Cabral

Vaga: Diretor

Antecessora: Debora Toci Puccini

Fim do mandato: novembro 2021


Indicado: Tasso Mendonça Junior

Vaga: Diretor

Antecessor: recondução

Fim do mandato: novembro 2021


ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica)


Indicado: Sandoval de Araújo Feitosa Neto

Vaga: Diretor-geral

Atual: André Pepitone da Nóbrega

Fim do mandato: agosto 2022


Indicado: Hélvio Neves Guerra

Vaga: Diretor

Atual: recondução

Fim do mandato: maio 2022


Indicado: Ricardo Lavorato Tili

Vaga: Diretor

Atual: Sandoval de Araújo Feitosa Neto

Fim do mandato: maio 2022


Indicado: Fernando Luiz Mosna Ferreira da Silva

Vaga: Diretor

Atual: Efrain Pereira da Cruz

Fim do mandato: agosto 2022


Indicado: Agnes Maria de Aragão da Costa

Vaga: Diretora

Atual: Elisa Bastos da Silva

Fim do mandato: dezembro 2022


Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)


Indicado: Juliana Oliveira Domingues

Vaga: procuradora-chefe da Procuradoria Federal Especializada junto ao Cade

Antecessor: Walter de Agra Júnior


Indicado: Victor Oliveira Fernandes

Vaga: Conselheiro

Antecessora: Paula Farani de Azevedo Silveira

Fim do mandato: fevereiro 2022


CVM (Comissão de Valores Mobiliários)


Indicado: João Pedro Barroso do Nascimento

Vaga: Presidência

Antecessor: Marcelo Santos Barbosa

Fim do mandato: 14 de julho de 2022

O comitê de reeleição de Jair Bolsonaro discute três possibilidades de agenda para marcar o início da campanha de rua, a partir do dia 16: Aparecida do Norte, Juazeiro do Norte ou Juiz de Fora.

Leia Mais

As manifestações pela democracia nesta quinta-feira, em São Paulo, são históricas, mas não têm poder de gerar impacto significativo na eleição. O que elas mostram é que Bolsonaro tem menos tolerância para um golpe.

Leia Mais

Depois de ser condenado pelo TCU a devolver R$ 2,8 milhões em diárias, ex-procurador também viu o STJ confirmar a indenização por danos morais a Lula, por causa do PowerPoint em que acusava o petista de chefiar o esquema do petrolão.

Leia Mais

O presidente consultou seus auxiliares sobre uma possível implicação jurídica e política de um veto ao aumento de 18% nos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que aprovaram o reajuste na manhã de ontem, 10.

Leia Mais

A ministra foi eleita ontem à Presidência do STF sob uma expectativa aparentemente inatingível: preservar a legitimidade e autoridade da corte máxima do país durante as eleições mais tempestuosas desde a redemocratização. 

Leia Mais

Ministro votou em processo que julga a publicidade dos dados dos candidatos. Partiu dele a iniciativa que escondeu detalhes sobre o patrimônio dos candidatos nessas e nas eleições passadas. Para Fachin, manutenção de tais dados viola a LGPD.

Leia Mais

Corte decidiu pedir ao Congresso aumento salarial de 18% a ser pago em quatro parcelas. Assim, o salário dos ministros chegará a 46,3 mil reais. Ainda não há estimativa do impacto do efeito cascata do aumento.

Leia Mais

Patrimônio declarado pelo presidente à Justiça Eleitoral cresceu apenas 1,34% durante os últimos quatro anos, ante uma inflação acumulada de 28,7% no período.

Leia Mais

Governador declarou neste ano à Justiça Eleitoral um patrimônio 34,2% menor do que possuía em 2018. Apesar disso, ele ainda é sócio do pai em várias empresas, incluindo a gestora de marcas da Rede Massa, empresa de comunicação com emissoras de rádio e TV e afiliadas em vários estados.

Leia Mais

Beneficiado pelo fim das investigações sobre o esquema de rachadinhas, Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, quer voltar à Alerj como deputado estadual.

Leia Mais

Jair Bolsonaro determinou a seus auxiliares e colocou no comando da operação o seu zero um, o senador Flávio Bolsonaro, que dissuadam Roberto Jefferson de sua candidatura para presidente.

Leia Mais

Carlos Bolsonaro convenceu o pai de que o ministro Alexandre de Moraes mira a impugnação de sua candidatura ao marcar para dia 12 a análise de recursos inquérito das fake news.

Leia Mais

Ministros que consideraram ilegais as diárias pagas à força-tarefa da Lava Jato gastaram, em um ano, cerca de R$ 1 milhão em passagens e diárias em viagens pelo mundo.

Leia Mais

A pobreza de Lula

09/08/2022 às 18:00

Ex-presidente declarou à Justiça Eleitoral que tem hoje menos de 10% dos ativos atrelados a ele, segundo provas reunidas por investigadores. Patrimônio também se reduziu quando comparado ao que ele declarou em 2018.

Leia Mais

Num período de crise econômica, o presidente da Câmara, Arthur Lira, aumentou seu patrimônio em mais de 3 vezes, segundo sua declaração ao Tribunal Superior Eleitoral.

Leia Mais