Judiciário já julgou quatro processos usando jurisprudência do caso de Rubens Valente

Publicada em 09/05/2022 às 19:47
Gilmar Mendes já abriu ao menos 11 processos contra jornalistas que publicaram textos que o desagradaram Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress

O caso do jornalista Rubens Valente, obrigado pelo STF a pagar uma indenização de R$ 310 mil ao ministro Gilmar Mendes, já foi usado como jurisprudência para justificar ao menos quatro outras sentenças. A informação é da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). Segundo a entidade, todas as decisões foram tomadas até dezembro de 2021.

A Abraji afirma que a sentença contra Valente também foi utilizada como parâmetro de cálculo para danos morais em outros 10 processos pelo país. Para o jornalista, o uso do caso dele representa uma abertura grave no Judiciário.

“O precedente criado no meu caso é uma das consequências mais graves. Tanto sobre o conteúdo da condenação (meu livro não contém erro material nem ofensas) quanto sobre o valor, totalmente incomum”, afirma. O jornalista também cita que a ordem de publicar a íntegra da petição inicial e da condenação, em futuras reedições do livro, inviabiliza a obra e se trata de “violência intelectual”.

O advogado André Marsiglia, especialista em liberdade de expressão e imprensa, avalia que o processo contra Rubens Valente é um caso de censura. Para ele, isso é incompatível com o atual regime democrático.

“Impedir livros de serem republicados em suas versões originais, arbitrar indenizações desproporcionais, a tudo isso a melhor doutrina sobre o tema chama de chilling effect, ou efeito inibidor, que é quando não se censura abertamente, mas, ao inviabilizar a expressão plena, obtém-se o mesmo efeito. É a censura que come pelas beiradas. Devemos tratar, portanto, esse caso como um caso de censura, e censura não forma jurisprudência em um país democrático, menos ainda se vinda daqueles que possuem por ofício coibi-la”, diz.

Em todo o Brasil, magistrados abriram ao menos 60 processos contra veículos de imprensa, pedindo a retirada de conteúdos. Desse total, 81,6% foram concedidos. Gilmar Mendes é autor de 11 ações contra jornalistas, por danos morais.

Gilmar x Valente

O jornalista Rubens Valente foi obrigado pela Justiça a indenizar Gilmar Mendes por causa das informações publicadas sobre o ministro no livro “Operação Banqueiro”, que conta a história da Operação Satiagraha, que levou o dono do banco Opportunity, Daniel Dantas, à cadeia.

A obra mostra as ligações duvidosas que o banqueiro mantinha com diversas autoridades. Entre elas, estava Gilmar Mendes, que chegou a conceder habeas corpus ao empresário, apesar da aparência de proximidade que mantinham. O ministro não gostou da citação e foi à Justiça.

Gilmar perdeu o processo em primeira instância, mas recorreu e conseguiu reverter o resultado. Chegou a ter decisões favoráveis tomadas por colegas do STF que, em nenhum momento, se consideraram suspeitos para analisar o processo. O único que se absteve de votar foi Luís Roberto Barroso, que já teve altercações públicas com Mendes no plenário do STF.

Para a Abraji, a sentença contra Rubens Valente é um atentado à liberdade de imprensa. Dada a impossibilidade de recursos no Brasil, a entidade levou o caso à Corte Interamericana de Direitos Humanos. O processo foi aberto em parceria com as entidades internacionais Media Defence e Robert F. Kennedy Human Rights.

“Além de uma decisão que ameaça a liberdade de imprensa, chama a atenção a rapidez com que o jornalista foi executado a pagar a indenização, valor com o qual ele teve de arcar sozinho, uma vez que a editora condenada no caso, a Geração Editorial, não se manifestou. Assim, a pedido de Mendes, Valente foi considerado devedor solidário, sendo responsabilizado pelo pagamento integral da condenação”, afirmou a Abraji.

Bastidor entrou em contato com outras entidades representativas da imprensa, como a Fenaj, a ABI e a ANJ, mas elas não se manifestaram a respeito da decisão contra Rubens Valente. O jornalista disse que tem recebido apoio da Fenaj, dos sindicatos do Distrito Federal e de São Paulo e da ABI.

No dia 5 de maio, o presidente da Associação Nacional de Jornais, Marcelo Rech, esteve com o presidente do STF, Luiz Fux. Eles lançaram juntos uma exposição sobre a liberdade de imprensa, que pode ser visitada na Suprema Corte.

Publicitário condenado no mensalão cumpria prisão domiciliar desde 2020, por causa da pandemia. Ele foi condenado a mais de 37 anos de prisão por crimes como corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Leia Mais

O presidente da Câmara, Arthur Lira, disse ontem ao ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, que o prazo para que o governo e a Aneel cheguem a uma solução para a revisão do aumento da energia elétrica (o reajuste chega a até 25%) se encerra amanhã.

Leia Mais

Na disputa para ganhar a chance de perder em outubro, ninguém vence João Doria - ao menos em disposição. 

Leia Mais

Será a primeira – e provavelmente única – privatização de uma grande empresa estatal na administração de Jair Bolsonaro, caso ele não seja reeleito.

Leia Mais

Depois de ter pedido negado no STF, advogado do presidente decidiu pedir investigação de Moraes à Procuradoria-Geral da República.

Leia Mais

O presidente Jair Bolsonaro avisou a seus aliados que pretende denunciar o ministro Alexandre de Moraes à Corte Interamericana de Direitos Humanos. Ele se diz perseguido.

Leia Mais

Amigos de Michel Temer, com a sua autorização, passaram a vender, para ver se cola nos partidos de centro, a ideia de que o ex-presidente poderia ser uma solução viável e competitiva para as dificuldades de se ter um candidato único da chamada terceira via.

Leia Mais

Filhos do ex-governador da Bahia Paulo Souto, ex-secretário do agora candidato a governador, mantêm contrato de mais de 200 milhões de reais com a prefeitura de Salvador, que vem sendo renovado sem licitação.

Leia Mais

Ministro considerou que condutas do colega apontadas como criminosas pelo presidente da República não poderiam ser enquadradas dentro da Lei de Improbidade Administrativa.

Leia Mais

Ao menos duas ações populares protocoladas nesta semana pelos sindicatos dos trabalhadores urbanitários pedem à justiça federal que suspenda o processo de privatização da Eletrobras em julgamento no Tribunal de Contas da União.

Leia Mais

A capitalização da Eletrobras, se bem sucedida, expulsará apaniguados do MDB e do PT que prosseguem empregados na vasta estrutura da estatal.

Leia Mais

Em conversa ontem (segunda) com o deputado Reginaldo Lopes, postulante à vaga do Senado por Minas Gerais, Lula pediu ao aliado que chegue a um acordo com o PSD no estado.

Leia Mais

A Aeronáutica fez circular entre seus militares um ofício no qual afirma que a filiação partidária é proibida ao efetivo em serviço ativo. É sabido, mas de acordo com fontes ouvidas pelo Bastidor, é documento serve para lembrar a proibição.

Leia Mais

Arthur Lira é um político pragmático. Para chegar a presidente da Câmara, ele contou com o apoio de partidos da direita e de esquerda. Por sua reeleição, pretende fazer o mesmo no ano que vem.

Leia Mais

Em dezembro de 2021, invasão deixou os sistemas instáveis por semanas, prejudicando o acompanhamento de dados imprescindíveis para o acompanhamento da pandemia e de outros atendimentos oferecidos pelo SUS.

Leia Mais