Jorge Oliveira recusou sondagem para substituir Marco Aurélio

Diego Escosteguy
Publicada em 16/04/2021 às 12:15
Foto: Folhapress

Jorge Oliveira, que chegou recentemente ao Tribunal de Contas da União graças à excelente relação com Jair Bolsonaro, recusou sondagem do presidente para substituir Marco Aurélio Mello no Supremo, segundo fontes com conhecimento direto das tratativas.

O novo ministro do TCU agradeceu Bolsonaro, mas disse ao presidente que seria mais útil ao governo se permanecesse onde está. Também afirmou que há nomes mais qualificados para a vaga.

Oliveira, um dos principais conselheiros jurídicos de Bolsonaro, era um dos nomes cotados para a vaga no Supremo que veio a ser preenchida por Kassio. Disse a interlocutores que se sentiu usado. A realocação no TCU amenizou a mágoa.

Um dos conselheiros jurídicos de Bolsonaro acredita que o presidente sondou Oliveira já sabendo a resposta - como um gesto de reaproximação. O ministro do TCU já havia relatado a amigos que não aguentaria as pancadas sofridas por Kassio no Supremo. Nem as missões aparentemente acolhidas por ele.

Oliveira apoia a indicação do advogado-Geral da União, André Mendonça, de quem é muito amigo. Mendonça também é o nome da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, de Wagner Rosário (CGU), outro grande amigo do AGU, e de setores evangélicos.

Apesar desses apoios, a família Bolsonaro, com exceção da primeira-dama, não quer Mendonça no Supremo. Flávio e os demais, inclusive Frederick Wassef, ainda preferem Humberto Martins, presidente do STJ.