A disputa entre Flávio e Michelle Bolsonaro

Diego Escosteguy
Publicada em 16/03/2021 às 15:54
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Chegou à família do presidente Jair Bolsonaro a disputa pela próxima vaga no Supremo, a ser aberta em julho com a aposentadoria compulsória do ministro Marco Aurélio Mello.

Michelle Bolsonaro, a primeira-dama, apoia a candidatura de André Mendonça. O ministro da Justiça também recebeu o endosso de parte da bancada evangélica e, especialmente, do deputado Marcos Pereira, presidente do Republicanos. (Ao desistir de sua candidatura à Presidência da Câmara, o deputado ganhou voz perante o Planalto para participar da indicação do substituto de Marco Aurélio.)

A crescente força política de Michelle será testada nas próximas semanas. O senador Flávio Bolsonaro e o advogado Frederick Wassef, principais responsáveis pela triagem de vagas aos tribunais superiores, apoiam a candidatura de Humberto Martins, presidente do Superior Tribunal de Justiça.

Até agora, Flávio e Wassef não perderam uma. Emplacaram até Kassio no Supremo. Dois concorrentes à vaga de Marco Aurélio já receberam da dupla o seguinte recado: a disputa reduziu-se a Martins e a André Mendonça.

Como o presidente costuma demorar a tomar decisões e muda de opinião com frequência, todos os candidatos seguem trabalhando, discretamente, para obter apoio político e, quem sabe, unir a família Bolsonaro em torno de um nome.