Aras defende quebras de sigilo de Secretário de Vigilância em Saúde do governo federal

Publicada em 13/10/2021 às 18:23
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Augusto Aras defendeu hoje as quebras dos sigilos telefônico e telemático impostas pela CPI da Pandemia a Arnaldo Correia de Medeiros, Secretário de Vigilância em Saúde do governo federal. Em junho, Cármen Lúcia Já havia mantido as quebras de sigilo contra Medeiros.

O levantamento dos segredos foi determinado porque os senadores querem entender a participação de Medeiros na compra da Covaxin. No pedido ao STF para suspender as quebras de sigilo, o secretário afirmou que a CPI não tinha evidências suficientes para justificar a invasão.

Porém, Aras disse que uma exigência desse nível impediria os trabalhos dos senadores. "Não se pode exigir da comissão parlamentar, neste momento de investigação preliminar, a apresentação de provas mais robustas acerca do envolvimento da impetrante com os fatos sob apuração, até porque essa exigência revela-se incompatível com essa fase investigativa."