A volta das divergências

Brenno Grillo
Publicada em 01/03/2024 às 10:00
Barroso teve duas discussões acaloradas em uma semana em plenários Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

A tranquilidade da gestão do ministro Luís Roberto Barroso no Supremo Tribunal Federal e no Conselho Nacional de Justiça parece estar no fim. Antes, com o bolsonarismo ainda muito forte contra o Judiciário, as necessárias discussões eram deixadas para os bastidores ou para depois da tormenta política. Agora, voltaram aos plenários.

Nas últimas duas semanas, Barroso teve argumentações acaloradas com Luís Felipe Salomão, no CNJ, e Alexandre de Moraes, no STF.

Em relação a Salomão, a discussão começou porque o Corregedor Nacional de Justiça pretendia reiniciar um processo contra a juíza Gabriela Hardt, por chancelar acordos de ressarcimento firmados com a Petrobras durante a Lava Jato. A magistrada substituiu Sérgio Moro temporariamente na 13ª Vara Federal de Curitiba.

Conselheiros do CNJ afirmaram ao Bastidor que esse episódio não é o prenúncio de uma relação conflituosa, mas, sim, um exemplo das resistências que existem no órgão. Um dos motivos é que Salomão tem agenda própria e pouco tempo no colegiado, pois deixa o conselho em seis meses.

No caso envolvendo Moraes, o debate ocorreu no fim da sessão da última quarta-feira (28), por conta de divergência na decisão do STF que definiu o destino das sobras eleitorais. A discussão foi ríspida, mas nada que afete profundamente a relação dos ministros - a dupla, juntamente com Edson Fachin, foi o alvo preferencial do bolsonarismo.

E vem mais discussão pela frente. No CNJ, Barroso pautou para o dia 5 de março a votação de um projeto que dá mais protagonismo ao plenário virtual do Conselho. A ideia não agrada a alguns conselheiros de Justiça, muito menos aos advogados que atuam no órgão.

Fontes da entidade e da advocacia ouvidas pelo Bastidor afirmaram que, se aprovada, a mudança vai esvaziar as sessões presenciais, além de limitar o direito de defesa dos magistrados processados. “A sessão virtual não prende a atenção dos julgadores da mesa forma que a presencial. O mesmo vale para as sustentações orais enviadas por vídeo, que sequer são assistidas”, lamentou um conselheiro.

TST colocou o presidente Lula em uma intrincada escolha para o novo ministro

Leia Mais

Manifestação em defesa de Jair Bolsonaro é - e será - comício do PL para eleição municipal

Leia Mais

Defesas de empreiteiras contam com prorrogação de prazo para renegociar acordos de leniência

Leia Mais

Bola com Dino

21/04/2024 às 13:44

Desembargadores afastados da funções pelo CNJ pedem que STF corrija erros de Luís Felipe Salomão.

Leia Mais

Governo volta a colocar Alexandre Padilha no centro do controle das emendas parlamentares

Leia Mais

Defesa de Bolsonaro é apenas uma justificativa para ato de pré-campanha eleitoral

Leia Mais

CCJ do Senado aprovou projeto que reintegra o quinquênio aos salários do Judiciário.

Leia Mais

Foi a votação que analisou a prisão de Brazão que fez o clima entre o governo e Lira esquentar

Leia Mais

A divisão no CNJ

16/04/2024 às 21:30

Votos dos conselheiros no caso Lava Jato espelham a cisão entre magistrados de carreira e advogados.

Leia Mais

Foi e voltou

16/04/2024 às 21:14

TRF3 reconduz presidente do conselho de Administração da Petrobras ao cargo após afastamento

Leia Mais

Ministro da CGU pode ser convocado a explicar relação do seu escritório de advocacia com a Novonor

Leia Mais

Salomão retirou Moro do procedimento que suspendeu a atuação de quatro magistrados federais.

Leia Mais

MP no CNJ e defesa de magistrados alegam não haver razão para corregedoria processar quarteto.

Leia Mais

Pacheco segura

16/04/2024 às 15:14

Senador atende ao governo e adia sessão do Congresso que vai analisar vetos de Lula

Leia Mais

Após demitir primo do presidente da Câmara, governo recorre ao deputado para escolher substituto.

Leia Mais