Reformas dificilmente serão aprovadas, dizem deputados da base

Publicada em 13/09/2021 às 18:00
Foto: Futura Press/Folhapress

As chances de aprovação das reformas administrativas e tributária são muito baixas, avaliam deputados da base do governo.

Ficaram mais baixas depois do 7 de setembro, ainda que o presidente Jair Bolsonaro tenha retrocedido em sua marcha contra o Supremo Tribunal Federal.

De acordo com aliados do governo, o presidente da Câmara, Arthur Lira, vai trabalhar – e terá sucesso – para aprovar o projeto que permite ao governo parcelar os quase R$ 90 bilhões em precatórios.

O projeto é fundamental para que a equipe econômica tenha dinheiro para lançar o Auxílio Brasil em substituição ao Bolsa Família. Um programa maior que o Bolsa Família é do interesse também dos parlamentares da base.

Lira vai insistir nas outras reformas, mas, de acordo com seus aliados, ele sabe que dificilmente terá voto - nem apoio do presidente para persuadir deputados a aprovar as reformas.

Depois do recesso de fim de ano, os deputados concentram-se nas eleições. E propostas de lei impopulares não vão adiante.