Intervenção na Petrobras desmoraliza Paulo Guedes

Publicada em 19/02/2021 às 20:33
Foto: Folhapress

A saída de Roberto Castello Branco do comando da Petrobras desmoralizou o ministro da Economia, Paulo Guedes. Castello Branco era o principal aliado de Guedes no governo - a tal ponto que o ministro da Economia já quis que ele assumisse o Banco do Brasil.

Se a demissão de Castello Branco já seria um péssimo sinal para o mercado, a escolha do substituto chocou a equipe de Guedes e funcionários graduados da Petrobras. Amigo leal de Bolsonaro, o general Joaquim Silva e Luna, que era diretor de Itaipu, não entende de petróleo. Ninguém fora do Planalto acredita que ele tenha condições de presidir a Petrobras.

A substituição do aliado do ministro da Economia por um general próximo ao presidente reafirma o estatismo populista e atávico de Jair Bolsonaro. Guedes e a visão liberal que ele diz defender estão cada vez mais fracos em Brasília.