BC vê “lenta, mas paulatina” desconcentração nos bancos

Arnaldo Galvão
Publicada em 07/06/2021 às 17:02
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O Banco Central divulgou hoje, segunda-feira 7 de junho, seu relatório de economia bancária de 2020 e o diretor de organização do sistema financeiro, João Manoel Pinho de Mello, afirmou que há uma diminuição “lenta, mas paulatina” da concentração do sistema financeiro nacional.

Pinho de Mello se referiu aos indicadores que provam sua conclusão. O extenso relatório do BC compara os dados do mercado nos meses de dezembro nos anos de 2017 a 2020 e mostra queda na concentração.

No segmento de crédito para pessoas físicas, por exemplo, as maiores participações em dezembro de 2020 foram de Caixa (27,03%), Banco do Brasil (17,44%), Itaú-Unibanco (11,89%), Bradesco (11,21%) e Santander (9,99%). É a mesma ordem verificada em dezembro de 2018, mas essas cinco instituições financeiras perderam pequenas fatias.  

O diretor do BC também ressaltou que dois movimentos foram positivos para os consumidores de serviços financeiros. Em primeiro lugar, disse que houve um aumento da portabilidade do crédito que trouxe quedas relevantes dos juros pagos nos financiamentos imobiliários e no crédito consignado. Além disso, houve queda nos custos para um cliente mudar de banco.

O crescimento das cooperativas de crédito é outro ponto elogiado por Pinho de Mello. “Elas são fontes de competição relevante e ganharam mais participação de mercado nos municípios menores. O relacionamento delas com os clientes explica parte desse avanço”, disse o diretor do BC.