Banco Central indica Selic a 6,25% em setembro

Arnaldo Galvão
Publicada em 04/08/2021 às 19:21
Foto: Banco Central

O Comitê de Política Monetária do Banco Central elevou a taxa básica de juros Selic acima do que indicou na reunião realizada em 16 de junho. Naquela oportunidade, a sinalização era de aumento de 75 pontos-base, mas a mudança de cenário fez com que os diretores levassem a taxa de 4,25% ao ano para 5,25%.

Na divulgação da decisão de hoje, quarta-feira 4 de agosto, o BC informou que outro ajuste da mesma magnitude deve ser decidido na reunião de 21 e 22 de setembro.

Foram várias as justificativas para a decisão unânime de agregar 100 pontos-base à Selic. No contexto internacional, os diretores do BC consideraram que a variante Delta do novo coronavírus pode por em risco a recuperação da economia global e pode haver mais inflação nas economias centrais.

No Brasil, o BC vê persistência da inflação ao consumidor, com destaque para serviços e bens industriais. Há também novas pressões em alimentos e energia.

De acordo com a divulgação do BC, “o comitê entende que essa decisão reflete seu cenário básico e um balanço de riscos de variância maior do que a usual para a inflação prospectiva e é compatível com a convergência da inflação para as metas no horizonte relevante, que inclui o ano-calendário de 2022 e, em grau menor, o de 2023”.

“O Copom considera que, neste momento, a estratégia de ser mais tempestivo no ajuste da política monetária é a mais apropriada para garantir a ancoragem das expectativas de inflação”, informou o Banco Central.