Militares querem Barra Torres na política

Diego Escosteguy
Publicada em 14/01/2022 às 15:58
Foto: Raul Spinassé/Folhapress

O grupo de militares próximo ao general Carlos Alberto dos Santos Cruz, desafeto de Jair Bolsonaro com influência na caserna, quer levar à política o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

Eles acreditam que a resposta firme do diretor à investida recente do presidente contra a agência expôs virtudes militares esquecidas em tempos de bolsonarismo. Referem-se à honra, ao compromisso com a verdade e ao respeito às instituições. Barra Torres é contra-almirante e médico.

Santos Cruz e seus aliados avaliam que a imagem dos militares perante a opinião pública precisa ser urgentemente reabilitada. Calculam que o comportamento de Barra Torres à frente da Anvisa pode ser usado como exemplo nesse esforço.

Para esses militares, Barra Torres seria um bom candidato ao Senado ou à Câmara. Ou, se não topasse abdicar de seu mandato na Anvisa e concorrer a algum cargo em 2022, seria um ótimo ativo para endossar candidatos de origem militar e, no limite, Sergio Moro.

Há uma contradição intrínseca a esse cálculo político. O prestígio conquistado no último ano por Barra Torres advém precisamente do fato de ter fugido de decisões ou falas políticas. Recebeu elogios pelo comportamento técnico e de proteção da autonomia dos servidores da Anvisa. Venceu lentamente resistências e desconfianças ao agir de modo contrário às expectativas do presidente que o indicou ao cargo.

Se Barra Torres adentrar a vida política, ainda que apenas demonstrando apoio a um ou a outro candidato, provavelmente perderá sua credibilidade. A da Anvisa seria corroída, talvez na mesma proporção. Basta rememorar o mal-estar causado, entre servidores da agência, quando Barra Torres topou participar, ainda no ano passado, de uma das lives de Bolsonaro.

O grupo entusiasmado com o desempenho de Barra Torres, contudo, não enxerga o cenário político desse modo. Pretende sondar o contra-almirante.

Não há, porém, perspectiva de que a articulação possa prosperar. A interlocutores, o presidente da Anvisa assegura de modo peremptório que não abandonará o mandato nem aceitará ser peça voluntária nas eleições deste ano.

O Cade ficou com a tarefa inglória de investigar se os altos preços do gás são culpa da Petrobras. A empresa diz que segue valores de mercado e adota medidas para incentivar a concorrência - num setor que até pouco tempo atrás monopolizava de ponta a ponta.

Leia Mais

Exames poderão ser comprados em farmácias, mas não servem para fins de dispensa médica laboral ou para liberar passageiros em voos internacionais.

Leia Mais

O presidente Jair Bolsonaro consultou o advogado-geral da União, Bruno Bianco, sobre não depor pessoalmente à Polícia Federal, como determinou ontem o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. Ainda não se sabe se o presidente descumprirá a decisão do ministro. O depoimento é hoje, sexta, às 14h.

Leia Mais

A Anatel decidiu na noite de terça-feira (26) convocar uma sessão extraordinária, a ser realizada às 10h desta sexta-feira (28), para discutir a compra da Oi.

Leia Mais

Na próxima quarta-feira, 2, ele se reúne com o Eduardo Paes, Carlos Lupi (PDT) e Gilberto Kassab (PDT), além dos pré-candidatos ao governo fluminense pelas legendas, Rodrigo Neves e Felipe Santa Cruz, para fechar uma aliança entre as legendas.

Leia Mais

Jair Bolsonaro terá que depor à Polícia Federal nesta sexta-feira (28) debaixo de vara. Alexandre de Moraes determinou hoje (27) que presidente compareça às 14h, na Superintendência da PF em Brasília.

Leia Mais

Além de Rodrigo Cruz, atual número dois da pasta, que tem apoio de Tarcísio de Freitas e de parte do centrão, outros dois nomes surgiram com mais forças nas conversas no Planalto e no Congresso.

Leia Mais

O brasileiro assiste hidrelétricas jorrando água sem produzir energia, por conta dos aumentos dos reservatórios com as chuvas, enquanto o preço da conta de luz não cai. O motivo é o modelo de compra e venda da energia elétrica no país.

Leia Mais

Além do PSDB, que se reúne nesta quinta-feira, 27, para discutir a possibilidade de uma federação, o Cidadania tem negociado com o Podemos, o MDB e o PDT.

Leia Mais

Pasta orienta que pais em dúvida procurem um médico para verificar a existência de eventuais contraindicações ou comorbidades.

Leia Mais

Orientado por seus auxiliares, o presidente Jair Bolsonaro determinou ao ministro João Roma que faça um pronunciamento para anunciar boas notícias na área social do governo.

Leia Mais

Anvisa vai se reunir na sexta-feira para definir a liberação dos exames feitos em casa

Leia Mais

Ao dizer ao Bastidor que as chances são mínimas de Sergio Moro migrar para o União Brasil, Renata Abreu, presidente do Podemos e deputada federal, foi realista ao conhecer sua própria bancada e a do partido aliado.

Leia Mais

Carta de Neil Young ao Spotify joga luz sobre o que pode ou não ser publicado no Spotify. Enquanto isso, a plataforma de áudio, segue muda, sem se posicionar.

Leia Mais

O Bastidor mostrou que Sergio Moro e sua equipe política analisam cinco nomes que podem ser o marqueteiro do ex-juiz na campanha eleitoral deste ano. Mas cada um tem um ponto específico que pode prejudicar a escolha.

Leia Mais