Bolsonaro perde apoio na PF

Brenno Grillo
Publicada em 11/09/2021 às 06:00
Foto: Código19/Folhapress

Jair Bolsonaro não está feliz com a atuação da Polícia Federal no inquérito das fake news, como mostrou O Bastidor. E a recíproca é verdadeira. Os policiais, de agentes a delegados, estão no limite com a gestão do presidente da República.

Falta de valorização da carreira, imposição de dificuldades para obter pensões antes garantidas e, claro, as intervenções na gestão da PF são as reclamações mais frequentes. A troca de Rolando Alexandre de Souza por Paulo Maiurino, em abril deste ano, também não foi bem recebida - Souza é respeitado na PF, ao contrário do atual diretor-geral.

Também foram citados como exemplos os casos dos delegados Alexandre Saraiva e Felipe Alcântara de Barroso Leal. O primeiro foi afastado após investigar tráfico de madeira e esbarrar em Ricardo Salles. O segundo, que foi responsável por apurar suposta interferência de Bolsonaro na PF, é investigado pela PGR por abuso de autoridade e violação de sigilo profissional.

Uma das fontes da PF ouvidas pelo Bastidor afirmou que a popularidade de Bolsonaro "derreteu" dentro da corporação. Hoje, disse esse policial, os principais apoiadores do presidente são os servidores que trabalham há mais tempo na entidade e os aposentados.