Bolsonaro sob mais uma ameaça

Publicada em 05/04/2021 às 06:00
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Está cada vez mais acirrada a disputa para a vaga do ministro Marco Aurélio Mello que se aposentará em 5 de julho do STF. O presidente Jair Bolsonaro quer alguém leal e que não esconda nada dele. O candidato mais forte neste momento é André Mendonça, que deixou o Ministério da Justiça e voltou à Advocacia-Geral da União. O ministro Humberto Martins, presidente do STJ, também tem chance.

Bolsonaro recebe pressões pela escolha de Mendonça e ouviu que se escolhesse Martins perderia o apoio da bancada evangélica. A ameaça veio de alguns apoiadores e poucos parlamentares. O que o presidente não sabe que o AGU participa dessas articulações.

Recentemente, Bolsonaro desprezou outra ameaça de Paulo Guedes, quando seu ministro da Economia perdeu a queda de braço com parlamentares sobre o orçamento de 2021. Guedes disse que deixaria o governo se os seus ajustes não fossem feitos.   

A bancada evangélica é numerosa e não há unanimidade sobre o apoio a André Mendonça, mas a maior força dele atualmente é o apoio da primeira-dama Michelle Bolsonaro. Do outro lado, o senador Flávio Bolsonaro e o advogado Frederick Wassef querem Humberto Martins para a vaga de Marco Aurélio Mello.