O midas do lixo na Bahia

Brenno Grillo
Publicada em 03/05/2022 às 09:00
Marcos Moura, empresário responsável pela coleta de lixo em Salvador e São Francisco do Conde. Foto: Facebook

José Marcos de Moura é um empresário baiano que, como mostrou o Bastidor, empresta o jatinho que divide oficiosamente com Renata Magalhães para ACM Neto viajar. Moura é suspeito de lavar dinheiro e fez fortuna com contratos públicos de lixo. O mais lucrativo deles não é o de Salvador, concedido e generosamente reajustado pelo ex-prefeito amigo. É o de São Francisco do Conde, pequeno município a 82 quilomêtros da capital baiana.

Desde 2018, Moura tem um contrato que hoje totaliza mais de 21,3 milhões de reais para coletar o lixo produzido na cidade de 40 mil habitantes, segundo estimativas do IBGE para 2021. A prestação de serviços realizada pela MM Consultoria e Construções engloba toda a limpeza urbana, desde a retirada de lixo das ruas até a coleta de material descartado pela população.

A cidade é reduto do PP baiano, que migrou recentemente para o grupo político do neto de Antônio Carlos Magalhães após anos de parceria com o PT de Rui Costa. O Progressistas mudou de lado por desacordos políticos na formação de chapa para sucessão do atual governador petista.

São Francisco do Conde era comandada, no momento da assinatura do contrato, por Evandro Almeida. Ano passado, já na gestão de Antônio Calmon, o contrato assinado em meados de 2018 recebeu um aditivo de pouco mais de 8 milhões de reais, para que a prestação do serviço fosse estendida até julho.

É difícil encontrar mais detalhes do contrato da prefeitura de São Francisco do Conde com a empresa de Marcos Moura: o documento não aparece no portal municipal da transparência - ao contrário do que manda a lei.

Para uma simples comparação: o contrato de São Francisco do Conde custa 525 reais por habitante, enquanto a coleta de lixo em Salvador (que foi liderada por ACM Neto até 2020), também feita pela empresa de Moura, tem custo per capita de 60 reais - o valor da prestação de serviço na capital baiana totaliza 174,4 milhões.

O Bastidor questionou Marcos Moura e a prefeitura de São Francisco do Conde sobre as informações veiculadas, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem.

O município não se manifesta. Mas seus representantes seguem fazendo política. Calmon, do PP, e até seu vice, do PT, empenharam apoio recentemente a ACM Neto, como registrado na foto abaixo, em que estão ladeados pela família Leão (pai e filho).

O comitê de reeleição de Jair Bolsonaro discute três possibilidades de agenda para marcar o início da campanha de rua, a partir do dia 16: Aparecida do Norte, Juazeiro do Norte ou Juiz de Fora.

Leia Mais

As manifestações pela democracia nesta quinta-feira, em São Paulo, são históricas, mas não têm poder de gerar impacto significativo na eleição. O que elas mostram é que Bolsonaro tem menos tolerância para um golpe.

Leia Mais

Depois de ser condenado pelo TCU a devolver R$ 2,8 milhões em diárias, ex-procurador também viu o STJ confirmar a indenização por danos morais a Lula, por causa do PowerPoint em que acusava o petista de chefiar o esquema do petrolão.

Leia Mais

O presidente consultou seus auxiliares sobre uma possível implicação jurídica e política de um veto ao aumento de 18% nos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que aprovaram o reajuste na manhã de ontem, 10.

Leia Mais

A ministra foi eleita ontem à Presidência do STF sob uma expectativa aparentemente inatingível: preservar a legitimidade e autoridade da corte máxima do país durante as eleições mais tempestuosas desde a redemocratização. 

Leia Mais

Ministro votou em processo que julga a publicidade dos dados dos candidatos. Partiu dele a iniciativa que escondeu detalhes sobre o patrimônio dos candidatos nessas e nas eleições passadas. Para Fachin, manutenção de tais dados viola a LGPD.

Leia Mais

Corte decidiu pedir ao Congresso aumento salarial de 18% a ser pago em quatro parcelas. Assim, o salário dos ministros chegará a 46,3 mil reais. Ainda não há estimativa do impacto do efeito cascata do aumento.

Leia Mais

Patrimônio declarado pelo presidente à Justiça Eleitoral cresceu apenas 1,34% durante os últimos quatro anos, ante uma inflação acumulada de 28,7% no período.

Leia Mais

Governador declarou neste ano à Justiça Eleitoral um patrimônio 34,2% menor do que possuía em 2018. Apesar disso, ele ainda é sócio do pai em várias empresas, incluindo a gestora de marcas da Rede Massa, empresa de comunicação com emissoras de rádio e TV e afiliadas em vários estados.

Leia Mais

Beneficiado pelo fim das investigações sobre o esquema de rachadinhas, Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, quer voltar à Alerj como deputado estadual.

Leia Mais

Jair Bolsonaro determinou a seus auxiliares e colocou no comando da operação o seu zero um, o senador Flávio Bolsonaro, que dissuadam Roberto Jefferson de sua candidatura para presidente.

Leia Mais

Carlos Bolsonaro convenceu o pai de que o ministro Alexandre de Moraes mira a impugnação de sua candidatura ao marcar para dia 12 a análise de recursos inquérito das fake news.

Leia Mais

Ministros que consideraram ilegais as diárias pagas à força-tarefa da Lava Jato gastaram, em um ano, cerca de R$ 1 milhão em passagens e diárias em viagens pelo mundo.

Leia Mais

A pobreza de Lula

09/08/2022 às 18:00

Ex-presidente declarou à Justiça Eleitoral que tem hoje menos de 10% dos ativos atrelados a ele, segundo provas reunidas por investigadores. Patrimônio também se reduziu quando comparado ao que ele declarou em 2018.

Leia Mais

Num período de crise econômica, o presidente da Câmara, Arthur Lira, aumentou seu patrimônio em mais de 3 vezes, segundo sua declaração ao Tribunal Superior Eleitoral.

Leia Mais