Coronel Élcio Franco pode ser convocado novamente pela CPI

Publicada em 08/07/2021 às 19:00
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Os senadores Alessandro Vieira e Randolfe Rodrigues apresentaram requerimento para o coronel Élcio Franco prestar novo depoimento na CPI da Pandemia. Ele foi secretário-executivo do Ministério da Saúde na gestão do general Eduardo Pazuello.

Segundo os senadores, as investigações mostraram que a atuação do militar seguiu critérios políticos do presidente Jair Bolsonaro, o que levou o Brasil a ter um dos piores desempenho do mundo no combate à pandemia. O país contou hoje 530.179 mortos.

A comissão ouviu hoje, quinta-feira 8 de julho, a ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) Francieli Fantinato.  Ela disse que a militarização da gestão do Ministério da Saúde provocou centralização excessiva sem conhecimento técnico.

Francieli confirmou que o PNI previa a compra da vacina CoronaVac desde junho de 2020, mas houve atrasou na aquisição desse imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac. O programa também contava com cota no consórcio internacional Covax Facility de 140 milhões a 242 milhões de doses, mas o governo Bolsonaro optou pela cota mínima de 42 milhões.

A ex-coordenadora do PNI criticou a postura de Bolsonaro ao colocar em dúvida a segurança da vacinação. “Quando temos todas as evidências favoráveis mostrando a eficácia, qualquer pessoa que fale contrário vai trazer dúvidas à população. Então, há necessidade de se ter uma comunicação única, seja de qualquer cidadão, de qualquer escalão”, lamentou.