Indicados por Bolsonaro para a ANA não têm experiência em saneamento

Brenno Grillo
Publicada em 22/12/2021 às 13:41
Poluição no Rio Pavuna, Zona Norte do Rio de Janeiro. Foto: Tércio Teixeira/Folhapress

Jair Bolsonaro indicou, no último dia 15, quatro nomes sem experiência em saneamento básico para a diretoria da Agência Nacional das Águas. A área de atuação foi incluída nas competências da agência reguladora pelo marco legal do setor.

Essa inexperiência tem preocupado as empresas do setor, segundo uma fonte ouvida pelo Bastidor. Os indicados foram: Veronica da Cruz Rios, Filipe de Mello Sampaio Cunha, Herbert Drummond e Maurício Abijaodi Lopes de Vasconcellos. Todos ainda precisam ser aprovados pelo Senado.

Rios e Vasconcellos foram indicados por Rogério Marinho, segundo duas fontes - uma delas da ANA e outra ligada às empresas do setor. Veronica é secretária de Fomento e Parcerias com o Setor Privado no Ministério do Desenvolvimento Regional e o nome com menor resistência junto ao setor privado por sua visão voltada ao mercado. 

Vasconcellos é servidor de carreira e atual corregedor da ANA. Cunha, que foi o nome do Palácio do Planalto, era assessor especial de Assuntos Institucionais do Ministério de Economia e hoje atua como subchefe adjunto de Gestão Pública da Presidência da República. O indicado é irmão do braço direito de Tarcísio de Freitas no Ministério de Infraestrutura, Marcelo Sampaio - casado com a filha do general Luiz Eduardo Ramos.

E Drummond já trabalhou em diversos órgãos do governo federal, como nos conselhos de administração de Codevasf, Dnit e Companhia de Docas da Bahia, além de ter sido secretário de Transportes e de Política e integração do Ministério dos Transportes. Essas passagens se deram desde o governo de Fernando Collor de Mello, passando pelas gestões Lula e Dilma Rousseff.

Agência ignorada

Entre as agências, a ANA sempre ficou meio esquecida. Senadores costumavam declinar indicações à autarquia para não queimar suas vagas em órgãos reguladores. Mas o jogo virou desde que o saneamento foi incluído no rol de competências. Os investimentos na área, segundo levantamentos do setor, podem ultrapassar R$ 1 trilhão nos próximos 20 anos.

Tanto que a escolha dos quatro nomes motivou uma disputa dentro do Executivo, envolvendo principalmente Rogério Marinho e Paulo Guedes. O ministro da Economia tinha interesse em nomear toda a diretoria da agência, mas Marinho foi mais rápido.

Atualmente, Guedes tem um afilhado na ANA: Vitor Saback. Mas o atual diretor da agência é cotado para ocupar uma cadeira no Cade em 2022 e tem o apoio do ministro.

O Cade ficou com a tarefa inglória de investigar se os altos preços do gás são culpa da Petrobras. A empresa diz que segue valores de mercado e adota medidas para incentivar a concorrência - num setor que até pouco tempo atrás monopolizava de ponta a ponta.

Leia Mais

Exames poderão ser comprados em farmácias, mas não servem para fins de dispensa médica laboral ou para liberar passageiros em voos internacionais.

Leia Mais

O presidente Jair Bolsonaro consultou o advogado-geral da União, Bruno Bianco, sobre não depor pessoalmente à Polícia Federal, como determinou ontem o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. Ainda não se sabe se o presidente descumprirá a decisão do ministro. O depoimento é hoje, sexta, às 14h.

Leia Mais

A Anatel decidiu na noite de terça-feira (26) convocar uma sessão extraordinária, a ser realizada às 10h desta sexta-feira (28), para discutir a compra da Oi.

Leia Mais

Na próxima quarta-feira, 2, ele se reúne com o Eduardo Paes, Carlos Lupi (PDT) e Gilberto Kassab (PDT), além dos pré-candidatos ao governo fluminense pelas legendas, Rodrigo Neves e Felipe Santa Cruz, para fechar uma aliança entre as legendas.

Leia Mais

Jair Bolsonaro terá que depor à Polícia Federal nesta sexta-feira (28) debaixo de vara. Alexandre de Moraes determinou hoje (27) que presidente compareça às 14h, na Superintendência da PF em Brasília.

Leia Mais

Além de Rodrigo Cruz, atual número dois da pasta, que tem apoio de Tarcísio de Freitas e de parte do centrão, outros dois nomes surgiram com mais forças nas conversas no Planalto e no Congresso.

Leia Mais

O brasileiro assiste hidrelétricas jorrando água sem produzir energia, por conta dos aumentos dos reservatórios com as chuvas, enquanto o preço da conta de luz não cai. O motivo é o modelo de compra e venda da energia elétrica no país.

Leia Mais

Além do PSDB, que se reúne nesta quinta-feira, 27, para discutir a possibilidade de uma federação, o Cidadania tem negociado com o Podemos, o MDB e o PDT.

Leia Mais

Pasta orienta que pais em dúvida procurem um médico para verificar a existência de eventuais contraindicações ou comorbidades.

Leia Mais

Orientado por seus auxiliares, o presidente Jair Bolsonaro determinou ao ministro João Roma que faça um pronunciamento para anunciar boas notícias na área social do governo.

Leia Mais

Anvisa vai se reunir na sexta-feira para definir a liberação dos exames feitos em casa

Leia Mais

Ao dizer ao Bastidor que as chances são mínimas de Sergio Moro migrar para o União Brasil, Renata Abreu, presidente do Podemos e deputada federal, foi realista ao conhecer sua própria bancada e a do partido aliado.

Leia Mais

Carta de Neil Young ao Spotify joga luz sobre o que pode ou não ser publicado no Spotify. Enquanto isso, a plataforma de áudio, segue muda, sem se posicionar.

Leia Mais

O Bastidor mostrou que Sergio Moro e sua equipe política analisam cinco nomes que podem ser o marqueteiro do ex-juiz na campanha eleitoral deste ano. Mas cada um tem um ponto específico que pode prejudicar a escolha.

Leia Mais