Anvisa libera Sputnik V e Covaxin com restrições

Publicada em 04/06/2021 às 22:26
Foto: A7 Press/Folhapress

Por quatro votos a um, a diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou nesta sexta-feira 4 de junho a importação e o uso limitado das vacinas Sputnik V, russa, e a Covaxin indiana. Apenas adultos fora dos grupos de risco receberam as doses.

Acompanharam o voto do relator Alex Campos o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, Romison Rodrigues Mota e Meiruze Sousa Freitas. Cristiane Jourdan Gomes foi voto vencido.

A decisão, excepcional, liberou a importação da Sputnik V para vacinação de 1% da população de cinco Estados que integram o Consórcio do Nordeste. A quantidade de doses liberada foi: Bahia (300 mil), Maranhão (141 mil), Sergipe (46 mil), Ceará (183 mil), Pernambuco (192 mil) e Piauí (66 mil).

No caso da Covaxin, a Anvisa liberou a aplicação de 4 milhões de doses. 

A decisão tomada hoje pela Anvisa foi uma solução intermediária para conciliar o rigor técnico sanitário, as exigências legais e a urgência da pandemia.

Os responsáveis pelas vacinas russa e indiana avançaram e apresentaram mais dados, mas as áreas técnicas da Anvisa avaliam que as informações ainda são insuficientes para autorizar a importação e aplicação dos imunizantes da forma como já foi deliberada para outros fabricantes.