Anac tenta criar saída para favorecer empresa em licitação no Aeroporto de Guarulhos

Publicada em 03/02/2021 às 19:07

Integrantes da Agência Nacional da Aviação, a Anac, se reuniram na semana passada com executivos da GRU Airport, empresa responsável pela administração privada do Aeroporto de Guarulhos. O encontro tinha como pauta central a licitação da obra que liga o aeroporto com a linha 13 do metrô. O Bastidor contou que o processo foi finalizado e um consórcio internacional foi escolhido. Mas o governo entrou em cena para atuar por outra empresa - o que gerou um atraso na obra. 

Mas o que a Anac apresentou na reunião assustou todo os presentes. Disseram que estavam finalizando um parecer pelo qual não assumiriam os riscos da escolha do fornecedor. No documento, ressaltariam que a GRU Airport pode contratar quem quiser - mas agora impondo uma limitação de valor que poderia ser descontado do custo da outorga anual devida ao governo. Essa restrição não existia quando o governo repassou a responsabilidade da obra à concessionária.

Na prática, esse novo limite coincide com o valor apresentado pelo protótipo gaúcho Aeromóvel . Essa seria mais uma forma de emparedar a concessionária e forçar indiretamente a contratação da solução que existe apenas no aeroporto de Porto Alegre, com baixa utilização e histórico de problemas operacionais.  

A GRU Airport já havia informado que não contrataria a solução aeromovel e que se o governo insistisse em direcionar a contratação, que ao menos assumisse o risco de se contratar o modelo experimental. Técnicos avaliaram que seria irresponsável confiar a operação e a segurança de 30 milhões de passageiros num modelo experimental.