Tensão no DEM com depoimento de Mandetta

Publicada em 03/05/2021 às 17:57
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

A cúpula do DEM vai acompanhar o comportamento do senador Marcos Rogério nesta semana agitada da CPI da Pandemia. Ele integra a tropa de choque do presidente Jair Bolsonaro, mas o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta é uma aposta do partido para a eleição do ano que vem.

Mandetta é um dos pré-candidatos a presidente e dará seu depoimento amanhã, terça-feira 4 de maio. Marcos Rogério é vice-líder do governo e vai confrontar Mandetta com dados levantados pela Casa Civil. A ideia é mostrar que ele participou da estratégia do governo no combate à pandemia.

O pior cenário para o DEM, na visão do presidente do partido ACM Neto, é Mandetta ser atacado por Marcos Rogério. A expectativa é que o senador seja leal ao partido e não ao governo.

Certamente não faltará tecnologia ao DEM para lidar com essa situação da CPI da Pandemia. O ministro chefe da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, é deputado federal pelo DEM e foi um dos primeiros a aderir à campanha do então candidato Jair Bolsonaro. O partido integrou a coligação que apoiou Geraldo Alckmin com outras oito siglas.