Suspensão de cirurgias cardiológicas: entidades contestam nova tabela do SUS

Publicada em 09/01/2022 às 10:59
Entidades pediram no fim de dezembro a revisão da portaria, mas Queiroga não respondeu Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

As duas entidades que o Ministério da Saúde diz ter consultado para editar a portaria 3693/21, que reduziu drasticamente os valores de diversos itens usados em cirurgias cardiovasculares, reclamam da nova tabela divulgada pela pasta. Segundo as associações, os preços repassados aos hospitais tendem a inviabilizar o atendimento em hospitais que atendem pelo SUS.

De acordo com a Federação Brasileira de Hospitais (FBH), a tabela fez com que unidades de saúde particulares e filantrópicas que prestam atendimento público, sobretudo a pessoas mais pobres, passassem a suspender os procedimentos, por não terem condições de adquirir vários itens necessários, como stents e marca-passos.

Em nota enviada a O Bastidor, na sexta-feira (2), o Ministério da Saúde afirmou que o levantamento de preços da nova tabela foi feito depois de consultas à Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV) e à Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos (Abimo). 

Depois da publicação da portaria, ambas divulgaram notas contestando os reajustes. “A primeira análise desta alteração, tão aguardada pelo setor, aponta que esta revisão não atende às necessidades do mercado, visto a significativa defasagem na correção destes valores. Desta forma, a medida não soluciona a situação, com reajustes muito abaixo do esperado e, ainda, redução de valores de alguns dispositivos na área cardiológica. A ABIMO está avaliando junto aos fabricantes os impactos desta portaria no setor”, diz trecho do texto da entidade que representa os fornecedores. Leia a íntegra.

A SBCCV emitiu dois comunicados criticando a medida (Leia aqui). A entidade também assinou um ofício, encaminhado no dia 28 de dezembro, ao ministro Marcelo Queiroga, em que pede a revisão imediata da portaria. O documento também é subscrito pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas e Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI).

“Como consequência da modificação de valores sem a preservação do equilíbrio econômico- financeiro, há, inclusive, risco de desabastecimento e suspensão de procedimentos eletivos ou emergenciais, impactando sobretudo as entidades filantrópicas e a parcela da população atendida pelo SUS”, dizem as entidades médicas no documento. Elas também pedem a formação de um grupo de trabalho no ministério, para que possam analisar junto ao governo o impacto das medidas.

Até a publicação desta reportagem, as entidades médicas não haviam recebido nenhuma resposta de Queiroga.

O Cade ficou com a tarefa inglória de investigar se os altos preços do gás são culpa da Petrobras. A empresa diz que segue valores de mercado e adota medidas para incentivar a concorrência - num setor que até pouco tempo atrás monopolizava de ponta a ponta.

Leia Mais

Exames poderão ser comprados em farmácias, mas não servem para fins de dispensa médica laboral ou para liberar passageiros em voos internacionais.

Leia Mais

O presidente Jair Bolsonaro consultou o advogado-geral da União, Bruno Bianco, sobre não depor pessoalmente à Polícia Federal, como determinou ontem o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. Ainda não se sabe se o presidente descumprirá a decisão do ministro. O depoimento é hoje, sexta, às 14h.

Leia Mais

A Anatel decidiu na noite de terça-feira (26) convocar uma sessão extraordinária, a ser realizada às 10h desta sexta-feira (28), para discutir a compra da Oi.

Leia Mais

Na próxima quarta-feira, 2, ele se reúne com o Eduardo Paes, Carlos Lupi (PDT) e Gilberto Kassab (PDT), além dos pré-candidatos ao governo fluminense pelas legendas, Rodrigo Neves e Felipe Santa Cruz, para fechar uma aliança entre as legendas.

Leia Mais

Jair Bolsonaro terá que depor à Polícia Federal nesta sexta-feira (28) debaixo de vara. Alexandre de Moraes determinou hoje (27) que presidente compareça às 14h, na Superintendência da PF em Brasília.

Leia Mais

Além de Rodrigo Cruz, atual número dois da pasta, que tem apoio de Tarcísio de Freitas e de parte do centrão, outros dois nomes surgiram com mais forças nas conversas no Planalto e no Congresso.

Leia Mais

O brasileiro assiste hidrelétricas jorrando água sem produzir energia, por conta dos aumentos dos reservatórios com as chuvas, enquanto o preço da conta de luz não cai. O motivo é o modelo de compra e venda da energia elétrica no país.

Leia Mais

Além do PSDB, que se reúne nesta quinta-feira, 27, para discutir a possibilidade de uma federação, o Cidadania tem negociado com o Podemos, o MDB e o PDT.

Leia Mais

Pasta orienta que pais em dúvida procurem um médico para verificar a existência de eventuais contraindicações ou comorbidades.

Leia Mais

Orientado por seus auxiliares, o presidente Jair Bolsonaro determinou ao ministro João Roma que faça um pronunciamento para anunciar boas notícias na área social do governo.

Leia Mais

Anvisa vai se reunir na sexta-feira para definir a liberação dos exames feitos em casa

Leia Mais

Ao dizer ao Bastidor que as chances são mínimas de Sergio Moro migrar para o União Brasil, Renata Abreu, presidente do Podemos e deputada federal, foi realista ao conhecer sua própria bancada e a do partido aliado.

Leia Mais

Carta de Neil Young ao Spotify joga luz sobre o que pode ou não ser publicado no Spotify. Enquanto isso, a plataforma de áudio, segue muda, sem se posicionar.

Leia Mais

O Bastidor mostrou que Sergio Moro e sua equipe política analisam cinco nomes que podem ser o marqueteiro do ex-juiz na campanha eleitoral deste ano. Mas cada um tem um ponto específico que pode prejudicar a escolha.

Leia Mais