Por reeleição, Bolsonaro se estranha com Paulo Guedes

Publicada em 13/09/2021 às 06:00
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O presidente Jair Bolsonaro está convencido que o ministro Paulo Guedes (Economia) coloca dificuldade demais para liberar dinheiro para os programas que considera essenciais para a sua reeleição, como o Auxílio Brasil, que substituirá o Bolsa Família.

O presidente também não gosta da reforma administrativa e não está nem aí para a reforma tributária. Bolsonaro começou a se alinhar com aqueles que insistem que o governo precisa gastar para gerar emprego e aumentar renda dos mais pobres.

Para uma ala liderada por Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional, sem gastar será impossível se reeleger.

Numa discussão recente, diante de outros ministros, quando Guedes esboçou a ponderação de que o governo precisa controlar gastos, o presidente o interrompeu, bateu na mesa e soltou um palavrão para o ministro da Economia.

A pressão do presidente é o que faz com que Guedes, a despeito do aumento de arrecadação, insista na liberação do Congresso para obter R$ 130 bilhões em crédito suplementar.