OMS recusa pré-registro emergencial da vacina russa Sputnik

Publicada em 26/01/2021 às 19:17
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Técnicos da Organização Mundial de Saúde recusaram, em reunião na sexta, dia 22, o pedido de pré-registro emergencial da vacina russa Sputnik junto à entidade, segundo fonte com conhecimento direto das tratativas. O Instituto Gamaleya, responsável pelo imunizante, não apresentou dados mínimos para a análise da OMS.

Os especialistas da OMS avaliam que a Sputnik é a vacina mais problemática entre as dezesseis em fase avançada de desenvolvimento que são monitoradas pela entidade. Em síntese, o governo russo não repassa dados que permitam verificar a segurança, a eficácia e a qualidade do imunizante.

Os representantes russos não se comprometeram sequer a entregar os dados críticos para a avaliação preliminar da vacina. Apenas prometeram dar uma posição até o fim desta semana sobre quais informações poderão enviar.

A agência europeia de vacinas também não recebeu dados da Rússia, apesar de declarações em contrário. No Brasil, a Anvisa passa pela mesma situação.