O dilema da popularidade

Leandro Loyola
Publicada em 10/07/2024 às 16:00
A estratégia de críticas aos juros e ao mercado financeiro deu resultados positivos a Lula Foto: Marlene Bergamo/Folhapress

A pesquisa Quaest divulgada nesta quarta-feira (10) é positiva para o governo Lula. Tanto no atacado, quanto no varejo, a popularidade do presidente subiu e a avaliação da sua gestão pela população melhorou. Ao mesmo tempo, há um dilema sobre a sustentabilidade disso.

A alta da popularidade do presidente está relacionada a o quanto ele bateu nos juros altos e no mercado financeiro. Mas suas palavras também levaram à alta do dólar, que pode causar mais inflação - e inflação é algo que prejudica sua popularidade, como também mostra a pesquisa. Não é um dilema fácil de solucionar.

Nos números mais gerais, a aprovação do trabalho do presidente subiu de 50% para 54% de maio para julho e a desaprovação recuou de 47% para 43%. A avaliação positiva do governo subiu de 33% para 36% e a negativa caiu de 33% para 30%.

No varejo, a avaliação positiva de Lula e do governo melhoraram até em grupos mais refratários, como evangélicos, pessoas com ensino superior incompleto ou completo e habitantes das regiões Norte e Centro-Oeste.

Por este aspecto, a estratégia do Palácio do Planalto em junho funcionou. A Secretaria de Comunicação da Presidência tinha pesquisas que mostravam que, quando Lula fala agressivamente contra os juros e bate nos ricos contra os pobres, sua popularidade sobe.

Por isso, durante duas semanas, Lula deu seguidas entrevistas a rádios do interior do país e em veículos de comunicação de alcance nacional, nas quais bateu sem dó no mercado financeiro e no presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, por causa da taxa de juros, que considera alta. Deu certo: a popularidade subiu, como o governo queria e precisava.

O dilema na pesquisa Quaest é que, apesar de a maioria dos entrevistados achar que os juros estão altos (87%) e se sentir bem quando Lula fala sobre isso, há também uma forte rejeição a uma sensação de inflação que está mais presente este ano devido ao aumento dos preços dos alimentos.

O índice de entrevistados que diz que a economia piorou caiu pouco, de 38% para 36%, e os que dizem que melhorou variou de 27% para 28% - ou seja, praticamente nada mudou. A maioria acha que a vida está mais cara que há um ano – 63% agora contra 67% em maio, que suas contas de água e luz subiram. A inflação incomoda muito e a população culpa o governo por isso.

O dilema está posto: ao bater nos juros altos, Lula é aprovado e sua popularidade sobe. Só que suas palavras tem efeitos reais na economia, tanto que provocaram uma alta de mais de 7% do dólar no mês – e dólar mais caro gera alta nos preços e na inflação, que incomoda os brasileiros e resulta em avaliação negativa do governo e queda na popularidade mais à frente.

Em resumo, ao bater nos juros e no Banco Central, Lula alimenta sua popularidade no curto prazo de um lado, mas a limita do outro, no médio prazo.  

De olho em enfrentar Lula em 2026, governador de Goiás espalha campanha que une segurança e negócios

Leia Mais

Fechem a torneira

19/07/2024 às 14:05

AGU pede ao STF suspensão do leilão da Sabesp por conflito de interesses e valor subestimado.

Leia Mais

Desempenho na segunda fase da venda das ações faz da privatização da estatal um sucesso

Leia Mais
Exclusivo

Um erro de 420 milhões

19/07/2024 às 06:00

Perda de prazo da PGFN dá à Dufry e ao advogado Sergio Bermudes precatório de quase meio bilhão.

Leia Mais

Defesa de Duque recorre ao ministro para evitar prisão por corrupção e lavagem na Petrobras.

Leia Mais

Por mim, libera

18/07/2024 às 19:50

Gonet diz que não é possível avaliar com calma a ação do PT contra a privatização da Sabesp.

Leia Mais

TSE muda de ideia e decide enviar observadores à eleição, o que evita um erro crasso do Brasil

Leia Mais

Expliquem-se

18/07/2024 às 09:07

Salomão pede que TJAL esclareça porque nomeou juízes já conhecidos na falência da Laginha.

Leia Mais

Alphabet foi condenada por concorrência desleal; Meta enfrenta ação bilionária por uso de dados.

Leia Mais

STF dá 24 horas para São Paulo justificar leilão da Sabesp; PT pediu liminar para suspender venda.

Leia Mais
Exclusivo

Gol da Alemanha

17/07/2024 às 19:09

Anac confirma que governo federal ressarcirá prejuízos da Fraport com o Aeroporto Salgado Filho.

Leia Mais

Juízes responsáveis pelo processo de falência da Usina Laginha decidiram que são aptos para o caso.

Leia Mais

Governo oculta dados de acordos da JBS e Marfrig com PGFN para renegociar dívidas com a União.

Leia Mais

Fraport fala que obras no aeroporto de Porto Alegre dependem de acordo com governo federal.


Leia Mais

Eduardo Braga quer alterar no Senado pontos da reforma tributária que foram acertados na Câmara

Leia Mais