Nada muda para Bolsonaro

Leandro Loyola
Publicada em 26/02/2024 às 06:00
Jair Bolsonaro tem apoiadores nas ruas, mas isso nada ajuda do ponto de vista jurídico Foto: Danilo Verpa/Folhapress

Jair Bolsonaro reuniu uma multidão na avenida Paulista horas atrás , falou o que quis, não cometeu nenhum erro em seu discurso que fosse capaz de suscitar sua prisão e marcou um ponto ao focar parte do evento nos evangélicos. Tudo certo.

Mas, nesta segunda-feira, a vida continua como está na seara que mais preocupa Bolsonaro, os inquéritos que correm no Supremo Tribunal Federal. Tudo indica que ele será preso pelos crimes de golpe de estado e tentativa de supressão do estado democrático de direito após um processo que será longo. A rua não muda isso.  

Para o mundo da política, Bolsonaro fez algo significativo. Mostrou que, mesmo ameaçado de prisão devido a provas de ter desviado joias da Presidência, usado a Abin para defender a si e aos filhos e tentado dar um golpe de estado que acabaria com a democracia, Bolsonaro ainda tem eleitores suficientes para manter políticos a seu lado.

Em seu discurso, Bolsonaro tentou emplacar a versão de que sua tentativa de golpe era uma brincadeirinha, algo que não ameaçava ninguém. Defendeu a anistia dos golpistas já presos e condenados não porque se preocupe com eles, mas porque se preocupa que provavelmente será um deles. O recado é que, político que quiser voto de bolsonarista e ser candidato a presidente em 2026, terá de prometer anistiar Bolsonaro se eleito for.

Na política, Bolsonaro ainda pode influenciar na escolha de candidatos para 2026 ou na atuação deles, na dinâmica da sucessão no Congresso este ano, gerar movimentos de apoio e até atrapalhar o governo Lula.

Na Justiça, no entanto, sua agitação conta quase nada. Para a Polícia Federal, a Procuradoria Geral da República e o Supremo Tribunal Federal a multidão na Paulista não muda as provas.

A PF ainda precisa concluir a investigação e pedir à PGR o indiciamento dos envolvidos. A PGR terá de examinar tudo e poderá fazer a denúncia ao Supremo. Por fim, o ministro Alexandre de Moraes poderá aceitar a denúncia e iniciar os trâmites para o julgamento. Não há manifestação na Paulista capaz de mudar as provas e as consequências delas perante a lei.

Bola com Dino

21/04/2024 às 13:44

Desembargadores afastados da funções pelo CNJ pedem que STF corrija erros de Luís Felipe Salomão.

Leia Mais

Ligação suspeita

20/04/2024 às 06:00

Advogada que atuou para Luiz Estevão ajudou a julgar servidores que o contrariaram na cadeia

Leia Mais

Flávio Dino desengaveta reclamação que leva STF de volta à discussão das emendas de relator.

Leia Mais

Avanço da PEC do Quinquênio é compromisso de Pacheco e Alcolumbre com integrantes do Judiciário

Leia Mais

Pressa para gastar

18/04/2024 às 19:00

Plenário do Senado começará a decidir sobre a PEC do Quinquênio a partir da próxima semana

Leia Mais

Governo volta a colocar Alexandre Padilha no centro do controle das emendas parlamentares

Leia Mais

Defesa de Bolsonaro é apenas uma justificativa para ato de pré-campanha eleitoral

Leia Mais

CCJ do Senado aprovou projeto que reintegra o quinquênio aos salários do Judiciário.

Leia Mais

Foi a votação que analisou a prisão de Brazão que fez o clima entre o governo e Lira esquentar

Leia Mais

A divisão no CNJ

16/04/2024 às 21:30

Votos dos conselheiros no caso Lava Jato espelham a cisão entre magistrados de carreira e advogados.

Leia Mais

Foi e voltou

16/04/2024 às 21:14

TRF3 reconduz presidente do conselho de Administração da Petrobras ao cargo após afastamento

Leia Mais

Ministro da CGU pode ser convocado a explicar relação do seu escritório de advocacia com a Novonor

Leia Mais

Salomão retirou Moro do procedimento que suspendeu a atuação de quatro magistrados federais.

Leia Mais

MP no CNJ e defesa de magistrados alegam não haver razão para corregedoria processar quarteto.

Leia Mais

Pacheco segura

16/04/2024 às 15:14

Senador atende ao governo e adia sessão do Congresso que vai analisar vetos de Lula

Leia Mais