O acordo contra os fakes

Samuel Nunes
Publicada em 06/06/2024 às 14:53
Foto: Ton Molina /Fotoarena/Folhapress

Cinco empresas que gerenciam redes sociais assinaram na tarde desta quinta-feira (6) um acordo com o Supremo Tribunal Federal (STF), em que se comprometem a participar de um programa para combater a disseminação de notícias falsas na internet. Segundo a corte, elas vão se juntar a outras 104 companhias que já fazem parte da iniciativa. O problema é que ninguém sabe o que será feito efetivamente.

A assinatura do protocolo envolverá o Google, YouTube, Meta, TikTok, Kwai e Microsoft. Segundo o STF, não haverá nenhum tipo de repasse de recursos financeiros da corte para as empresas, nem na via inversa. O objetivo é que elas promovam ações educativas e de conscientização para enfrentar a desinformação nas redes sociais.

Conforme a corte, o acordo foi costurado pelo presidente do STF, ministro Luís Roberto Barroso. Entretanto, nenhuma ação prática foi definida até o momento, embora o total de apoiadores da medida já chegue a 110 parceiros.

Embora Alphabet e Meta – que controlam uma série de redes sociais e plataformas – tenham participado da assinatura do acordo, chamou a atenção a ausência de outras duas empresas, o X (antigo Twitter) e o Telegram. Nos últimos anos, ambas foram constantemente acusadas de faturar alto com a disseminação de notícias falsas e tiveram vários entreveros com o STF, em especial com o ministro Alexandre de Moraes.

Questionado pelo Bastidor, o STF disse que as conversas com outras plataformas estão em andamento e que todas são bem-vindas a participar. Inicialmente, a corte não havia respondido às perguntas sobre as investigações abertas contra algumas das empresas e se a assinatura poderia trazer algum benefício relacionado aos casos em andamento.

Depois, o STF afirmou que o acordo é apenas em âmbito administrativo, sem qualquer relação com a atuação jurisdicional e sem afetar nenhum julgamento na corte. A explicação é de que o acordo seguirá os mesmos moldes de outras parcerias já firmadas entre essas empresas e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Google, Meta e Telegram são alvos de um inquérito aberto de ofício pelo STF, no qual é apurada a atuação das empresas para tentar impedir a aprovação do PL das Fake News, em discussão na Câmara dos Deputados. Já o dono do X, o bilionário Elon Musk, responde a dois inquéritos relacionados aos ataques públicos que fez contra o ministro Alexandre de Moraes.

Nota: esta reportagem foi alterada às 17h38 de 6 de junho de 2023, para adicionar o complemento da resposta do STF aos questionamentos feitos pelo Bastidor.

De olho em enfrentar Lula em 2026, governador de Goiás espalha campanha que une segurança e negócios

Leia Mais

Fechem a torneira

19/07/2024 às 14:05

AGU pede ao STF suspensão do leilão da Sabesp por conflito de interesses e valor subestimado.

Leia Mais

Desempenho na segunda fase da venda das ações faz da privatização da estatal um sucesso

Leia Mais
Exclusivo

Um erro de 420 milhões

19/07/2024 às 06:00

Perda de prazo da PGFN dá à Dufry e ao advogado Sergio Bermudes precatório de quase meio bilhão.

Leia Mais

Defesa de Duque recorre ao ministro para evitar prisão por corrupção e lavagem na Petrobras.

Leia Mais

Por mim, libera

18/07/2024 às 19:50

Gonet diz que não é possível avaliar com calma a ação do PT contra a privatização da Sabesp.

Leia Mais

TSE muda de ideia e decide enviar observadores à eleição, o que evita um erro crasso do Brasil

Leia Mais

Expliquem-se

18/07/2024 às 09:07

Salomão pede que TJAL esclareça porque nomeou juízes já conhecidos na falência da Laginha.

Leia Mais

Alphabet foi condenada por concorrência desleal; Meta enfrenta ação bilionária por uso de dados.

Leia Mais

STF dá 24 horas para São Paulo justificar leilão da Sabesp; PT pediu liminar para suspender venda.

Leia Mais
Exclusivo

Gol da Alemanha

17/07/2024 às 19:09

Anac confirma que governo federal ressarcirá prejuízos da Fraport com o Aeroporto Salgado Filho.

Leia Mais

Juízes responsáveis pelo processo de falência da Usina Laginha decidiram que são aptos para o caso.

Leia Mais

Governo oculta dados de acordos da JBS e Marfrig com PGFN para renegociar dívidas com a União.

Leia Mais

Fraport fala que obras no aeroporto de Porto Alegre dependem de acordo com governo federal.


Leia Mais

Eduardo Braga quer alterar no Senado pontos da reforma tributária que foram acertados na Câmara

Leia Mais