Arthur Lira ganha mais uma no Supremo

Publicada em 20/04/2021 às 18:21
Foto: Futura Press/Folhapress

O ministro Gilmar Mendes suspendeu três ações de improbidade administrativa contra o presidente da Câmara, Arthur Lira, que estavam em andamento no âmbito da Operação Lava Jato em Curitiba.

Segundo os advogados do parlamentar, o STF já tinha rejeitado a denúncia conhecida como “quadrilhão do PP”, o que beneficiou também o senador Ciro Nogueira, o deputado Aguinaldo Ribeiro e o ex-deputado Eduardo da Fonte. Portanto, os defensores de Lira afirmam que as ações de improbidade não poderiam prosseguir porque eram uma decorrência da ação criminal rejeitada.   

Em fevereiro de 2017, a Justiça Federal no Paraná bloqueou R$ 10,4 milhões de Arthur Lira e de seu pai, o ex-senador Benedito de Lira. A AGU fez o pedido em uma ação que pretende ressarcir os cofres públicos de supostos desvios de verbas da Petrobras para financiar as campanhas eleitorais dos acusados.