Projeto do IR reduz alavancagem dos bancos em R$ 500 bilhões

Publicada em 05/08/2021 às 14:30
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O presidente do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro, é mais um nome de peso que pode ser ouvido pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, para corrigir distorções no projeto que muda o imposto de renda.

Ribeiro deu hoje, quinta-feira 5 de agosto, um voto de confiança para que os deputados façam mudanças no substitutivo de Celso Sabino, do PSDB. O PL 2.337/2021 teve aprovada urgência para votação.

“A reforma tributária é necessária para o país, mas há um ponto sobre o crédito tributário dos bancos que pode ter uma transição mais suave para evitar impactos já no balanço de 2021. O Banco do Brasil não tem problemas de capital, mas a Febraban fez estudos e apurou que o texto, do jeito que está, tira aproximadamente R$ 500 bilhões de alavancagem dos bancos e a economia precisa de injeção de capital. Tenho certeza de que vão encontrar uma solução”, comentou.

O projeto de lei que muda o imposto de renda foi entregue por Paulo Guedes a Lira em 25 de junho, mas, apesar do recesso parlamentar de julho, teve velocidade recorde para um tema tão importante e complexo.

Ontem foi aprovada a urgência da votação e, teoricamente, os deputados podem deliberar a qualquer momento. Inúmeros representantes de setores econômicos já se manifestaram contra as mudanças que vão elevar a carga tributária de parte relevante das empresas e vão dificultar a vida das pessoas físicas. Até o momento, Lira está insensível.