As ameaças de Paulo Guedes não surtem mais efeito

Publicada em 26/03/2021 às 09:31
Foto: Raul Spinassé/Folhapress

O ministro da Economia não conseguiu segurar sua irritação ao saber das articulações dos parlamentares na votação do orçamento de 2021. Foi até o Palácio do Planalto na tarde de ontem e disse ao presidente Jair Bolsonaro que poderia entregar o cargo caso o relatório fosse aprovado naquele formato. As ameaças de Guedes não surtiram efeito.

Depois de Guedes se acalmar, Bolsonaro entendeu que os motivos da irritação do ministro da Economia não eram apenas o risco de desequilíbrio fiscal e os valores das emendas parlamentares. O que também fez Guedes explodir de raiva foi que o Ministério do Desenvolvimento Regional, comandado pelo desafeto Rogério Marinho, foi a grande beneficiado das emendas. Guedes e Marinho não se bicam e há meses romperam relações.