Ministro da Saúde critica vacina que projetou Doria

Publicada em 08/06/2021 às 19:10
Foto: Fotoarena/Folhapress

O quarto ministro da Saúde de Jair Bolsonaro, Marcelo Queiroga, disse hoje, terça-feira 8 de junho, que ainda há dúvidas sobre o desempenho da Coronavac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac. O imunizante foi aprovado para uso emergencial pela Anvisa.

"Sobre a vacina Coronavac, pairam ainda dúvidas, que para mim não devem se confirmar, acerca da sua efetividade", disse o ministro aos senadores que integram a CPI da Pandemia.

Bolsonaro tem uma postura muito criticada desde o início da pandemia. Menosprezou a doença quando governantes do mundo todo se mobilizavam para enfrentar a maior crise sanitária do planeta com a ajuda de cientistas. Além disso, faz propaganda da cloroquina, remédio comprovadamente imprestável para tratar a covid-19. O presidente também provoca aglomerações em suas viagens e saídas por Brasília e ataca os governadores que adotaram restrições para evitar o colapso hospitalar. 

As manifestações de Bolsonaro continuam sendo de rejeição à Coronavac porque a vacina produzida em São Paulo pelo Instituto Butantan foi amplamente divulgada pelo governador João Doria, do PSDB, pré-candidato a presidente em 2022.

Atualmente, há uma mudança de posição porque há volume de vacinas de outros laboratórios sendo aplicadas no Brasil. Bolsonaro recuou e passou a falar a mesma língua do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Os dois sempre souberam que a vacinação massiva da população é a única saída para retomar a atividade econômica.