Lobista da vacina Sputnik já foi acusado de receber propina

Publicada em 21/01/2021 às 19:51
Foto: Folhapress

Rogério Rosso, o principal lobista que articula a aprovação da vacina russa Sputnik no Brasil, já foi acusado de receber propina na Lava Jato. Rosso é, oficialmente, diretor de negócios internacionais da União Química, laboratório parceiro dos russos no Brasil. É o principal personagem à frente dos esforços para aprovar o uso da vacina.

Rosso é cria de Gilberto Kassab. Foi governador de Brasília e deputado federal pelo PSD. Delatores da Andrade Gutierrez disseram ter pago R$ 500 mil a Rosso, em 2011, para que ele ajudasse a manter o contrato superfaturado da empreiteira para a construção do estádio Mané Garrincha.

O caso não foi devidamente investigado. Rosso sempre manteve sua inocência.