Pacheco decepciona aliados com submissão a Bolsonaro

Publicada em 31/03/2021 às 08:51
Foto: Agif/Folhapress

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, foi criticado por alguns aliados pela postura tímida na grave crise das demissões do ministro da Defesa e dos três comandantes militares. O general Fernando Azevedo e Silva deixou claro que preservou o papel das forças armadas como instituições de Estado enquanto chefiou o Ministério da Defesa.    

As reclamações desses aliados de Pacheco foram provocadas pelo seu silêncio inicial, mas, depois, também pelos seus comentários que minimizaram a gravidade da situação.

Na opinião dos aliados, Pacheco adota um discurso conciliatório, mas que na prática tem sido de submissão ao presidente. Bolsonaro, afirmam, nem o ouve. Em contrapartida, Arthur Lira, presidente da Câmara, fala grosso e Bolsonaro o atende. A escolha da deputada Flávia Arruda para a Secretaria de Governo é citada como exemplo do desprestígio de Pacheco.

Alguns senadores querem convocar o ministro da Defesa, general Walter Braga Netto, para que explique os reais motivos das demissões do general Fernando Azevedo e Silva e dos comandantes militares.