Frente ampla de centro não empolga

Publicada em 03/05/2021 às 16:42
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O tempo passa sem sinal de avanço de uma candidatura de centro que seja abrangente, competitiva e que rompa a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e Lula na eleição de 2022. Nesse cenário, dirigentes do PDT rebatem as acusações que foram feitas contra o candidato Ciro Gomes e afirmam que a ambição de ter o cabeça da chapa está em todos os partidos.  

Pouca gente na política aposta em uma união dos potenciais candidatos para uma chapa do centro que agrade, ao mesmo tempo, Ciro Gomes, João Dória, Luiz Henrique Mandetta, Luciano Huck e Marina Silva.

Alguns caciques do PDT ressaltam que o PSDB deve realizar prévias em outubro com disputa interna para escolher quem será o candidato do partido à Presidência da República. Eles comentam que é praticamente impossível abrir mão da cabeça da chapa depois das prévias.

Quatro nomes são citados como potenciais candidatos a presidente no PSDB. Os governadores João Dória, de São Paulo e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul e o senador Tasso Jereissati. O ex-senador e ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio também pode disputar.

Ciro Gomes foi criticado porque defende uma ampla candidatura de centro, mas se movimenta como se fosse a única opção para a cabeça da chapa. Recentemente, ele divulgou vídeos que já tiveram a marca do marqueteiro João Santana.