Toffoli vota e STF derruba delação de Sérgio Cabral

Publicada em 27/05/2021 às 20:34
Foto: Nelson Jr/SCO/STF

O plenário virtual do Supremo Tribunal Federal derrubou a delação do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral. Negociado com a Polícia Federal, o acordo tinha sido homologado pelo ministro Edson Fachin em fevereiro do ano passado, mas a Procuradoria Geral da República recorreu alegando que não foi ouvida.

Na delação, Cabral acusou Dias Toffoli de vender decisões do Tribunal Superior Eleitoral. O ministro negou os fatos e votou apesar de ter sido citado pelo ex-governador. O ministro Roberto Barroso também votou apesar de Cabral ter atuado para que a presidente Dilma Rousseff o indicasse ao STF em 2013. 

Os ministros que votaram contra a delação são Edson Fachin, Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Kassio Nunes Marques. Ficaram vencidos, a favor da delação, Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Rosa Weber e Marco Aurélio Mello.