Moraes mantém Marcelo Odebrecht em ação para ressarcir a Petrobras

Brenno Grillo
Publicada em 13/10/2021 às 10:35
Foto: Eduardo Knapp/Folhapress

Marcelo Odebrecht continuará como réu em ação para ressarcir a Petrobras pelos pagamentos de propinas a agentes públicos investigados pela Lava Jato. A decisão de Alexandre de Moraes trata de caso que tramita no Paraná e também envolve o ex-diretor da estatal Rogério Santos de Araújo, além dos ex-executivos da Odebrecht Paulo Sergio Boghossian, César Ramos Rocha e Márcio Faria da Silva. 

No caso é analisado o ressarcimento, pelos réus, de propinas pagas a agentes públicos por meio de contratos firmados com a Petrobras. O pedido chegou ao STF depois que o TRF-4 negou a exclusão de Marcelo e dos ex-gestores da Odebrecht e da estatal da ação.

A solicitação foi feita após a exclusão da empreiteira do processo, por causa de um acordo de leniência firmado com CGU e AGU para ressarcimento de R$ 2,7 bilhões. Marcelo e os outros réus alegaram então que também deveriam ser beneficiados desse acordo. Moraes, porém, argumentou na segunda-feira (11) que a leniência abrange apenas as empresas do grupo e investigadas na Lava Jato, não seus ex-diretores.