Gilmar Mendes ataca negacionismo da AGU e da PGR

Publicada em 07/04/2021 às 20:23
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O ministro Gilmar Mendes usou sua força verbal no plenário do STF para criticar o Advogado-Geral da União, André Mendonça, e o Procurador-Geral da República Augusto Aras. Ele votou contra a liberação dos cultos religiosos em pleno auge da pandemia que vem acelerando a contagem diária de mortes no Brasil.    

Mendonça e Aras são candidatos à vaga de Marco Aurélio Mello que se aposenta em julho. Em plena campanha pela indicação do presidente Jair Bolsonaro, eles contestaram os decretos de governadores que suspenderam atividades presenciais para frear o ritmo da contaminação, do colapso hospitalar e das mortes.

O ministro Kássio Nunes Marques tinha dado liminar autorizando os cultos. Amanhã, o julgamento terá prosseguimento no plenário do STF.  

Para Gilmar Mendes, apenas uma visão negacionista procura impedir governadores e prefeitos de vetarem celebrações religiosas e que é “surreal” classificar as restrições como anticristãs. Mendonça disse que verdadeiros cristãos estão sempre dispostos a morrer para garantir a liberdade de religião e culto.