STF prorroga inquérito sobre interferência na PF

Publicada em 20/07/2021 às 19:15
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, prorrogou por 90 dias a investigação de suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal. A acusação foi apresentada pelo ex-ministro da Justiça Sérgio Moro em abril de 2020. Na ocasião, Moro disse que o presidente queria acesso a investigações sigilosas da corporação.

De acordo com a informação divulgada pelo STF, o inquérito tinha prazo para ser concluído em 27 de julho, mas há necessidade de continuar as apurações.

Bolsonaro recorreu da decisão do ministro Celso de Mello que tinha determinado depoimento pessoal nesse inquérito. O plenário do STF deve julgar o recurso em 29 de setembro.

Outro inquérito envolvendo diretamente Bolsonaro está com a relatoria da ministra Rosa Weber e trata da acusação feita por senadores com base nas acusações de corrupção na compra da vacina indiana Covaxin. O alerta foi dado ao presidente pelo deputado Luís Miranda e a Polícia Federal não foi acionada.   

Alexandre de Moraes também mandou recentemente abrir inquérito para investigar a atuação de uma organização criminosa de atuação digital que atenta contra a democracia e o Estado de Direito.