Delator diz que Romário participou de esquema no Rio

Publicada em 24/02/2021 às 17:41
Foto: Alan Marques/Folhapress

O empresário Marcus Vinícius Azevedo da Silva disse, em delação homologada no Supremo, que o senador Romário Faria participou de esquema na Prefeitura do Rio. Marcus Vinícius foi assessor do governador em exercício do Rio, Cláudio Castro. Virou delator após ser preso por corrupção.

Na decisão em que homologa o acordo, o ministro Marco Aurélio Mello refere-se ao anexo 5 da colaboração. Nele, diz-se que o senador participou de esquema de concessão de certificados de Organização Social com o objetivo de superfaturar contratos com a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer do Rio de Janeiro durante a gestão de Eduardo Paes. Não há mais informações disponíveis - a delação segue em segredo de Justiça.

Em 2015, Romário indicou Marcos Braz à Secretaria de Esporte do Rio. Braz havia sido vice-presidente de futebol do Flamengo (entre 2009 e 2010), cargo que voltou a ocupar no clube após a passagem pela Prefeitura. Hoje, também é vereador. Romário e Braz tornaram-se desafetos.

Procurado pelo Bastidor, o senador afirmou que Marcus Vinícius "precisa apresentar provas e, como não fará, porque é mentira, vai receber um processo nas costas". Para Romário, a "delação desses corruptos sempre acontecem quando se aproximam as eleições"e que não perde "mais tempo com historinhas, babaquices, conversas fiadas e mentiras".

A mesma delação implica Rodrigo Maia.